na cidade

Vêm aí webinares gratuitos sobre a importância da saúde e do bem-estar físico

A Rede Portuguesa de Municípios Saudáveis é uma associação liderada pelo concelho do Seixal e é responsável pela iniciativa.
Uma boa forma de melhorar os conhecimentos.

A pandemia tem atrasado muitos dos projetos pensados para 2020 e até para este ano, mas há casos em que se adaptam as ideias para o online. É exatamente isso que vai acontecer com o 8.º Fórum da Rede Portuguesa de Municípios Saudáveis, presidido pelo concelho do Seixal. 

A edição de 2021 começa no próxima sexta-feira, dia 22 de janeiro, e vai decorrer até junho. Ao todo, vão ser realizados seis webinares de periodicidade mensal, abordando vários temas. Esta semana, o tópico abordado vai ser o da ansiedade e o impacto do isolamento social na saúde mental dos portugueses. A 19 de fevereiro, o debate irá abordar o planeamento do município para as pessoas.

Já em março, o destaque vai para a ecologia e a sua relação com a saúde, e como é que as duas vertentes se podem relacionar. Os restantes temas passam pela atividade física (16 de abril), a literacia na saúde (21 de maio) e as parcerias com a saúde (18 de junho).

Pode consultar o programa completo no site do Fórum da Rede Portuguesa dos Municípios Saudáveis. A inscrição é obrigatória e deve preencher um formulário até ao dia 20 de janeiro. As transmissões vão ocorrer no Facebook. 

Estas sessões de aprendizagem online irão culminar num relatório com a sistematização das principais conclusões e perspetivas de trabalho futuro. Além disso, os webinares estão diretamente relacionados com os seis pilares da sétima fase da Rede Europeia de Cidades Saudáveis, permitindo uma ligação entre estas duas organizações que promovem a saúde. 

As ideias base desta rede passam por investir nas pessoas que compõem as nossas cidades, conceber lugares urbanos que melhorem a saúde e o bem-estar, melhorar a prosperidade das comunidades e o acesso a bens e serviços comuns. Além disso, querem promover a paz e a segurança através de sociedades inclusivas e proteger o planeta da degradação, nomeadamente através da produção e do consumo sustentável. 

MAIS HISTÓRIAS DO SEIXAL

AGENDA