na cidade

“Desabafos de Educadora”, o novo projeto seixalense que surpreende adultos com frases de miúdos

Trata-se de uma página online que serve como bloco de notas de Daniela Galveias.
A página traz uma nova (e pouco habitual) perspetiva sobre a forma como os miúdos pensam.

Além de serem capazes de revirarem uma casa em três tempos, de passarem horas e horas a brincar e até de, às vezes para dificultar, fazerem birras e choros intermináveis, os miúdos são frequentemente subestimados. Por serem pequenos no que toca à idade, os mais velhos têm uma certa tendência para considerar que pouco percebem do que está a acontecer ao seu redor. Porém, a realidade está, de facto, longe de ser exatamente assim.

Com a correria do dia a dia, em que as famílias se desdobram entre mil e uma coisas, falta com demasiada frequência tempo para dar voz aos mais novos. O que acontece — e ninguém pode negar — é que poucas oportunidades se dão aos miúdos para serem ouvidos no que toca à forma como se sentem em relação a diversos temas e questões; como olham para a sua vida; ou até mesmo quais as suas opiniões sobre as realidades que vivem ou irão viver.

De acordo com a opinião da seixalense Daniela Galveias, “existe pouca valorização das vozes dos mais pequenos”. E, para colmatar essa gigante falha, desde o dia 2 de janeiro que está disponível online uma página que tem tido praticamente efeitos milagrosos nos adultos: a “Desabafos de Educadora”.

É Daniela, atual diretora pedagógica de um ATL da região, a responsável por este recente projeto que chega ao digital quase como uma chamada de atenção e para confirmar que os miúdos sabem — e sentem — bem mais do que aquilo que muitas vezes se pensa.

“Desde os meus tempos de estágios curriculares que sempre tive o hábito de, no final do dia, registar frases ditas pelas crianças que me tenham marcado. Quando comecei a trabalhar como educadora esse hábito cresceu ainda mais. Decidi partilhar estes desabafos que tenho registados ao longo destes anos, para que os adultos percam aquela ideia de que ‘são só crianças, não percebem nada’, de forma a valorizarem mais estas vozes”, começou por explicar à NiS Daniela Galveias, de 32 anos.

Com isto, já com certeza percebeu que na página “Desabafos de Educadora”, quem desabafa — mesmo sem saberem — são os miúdos. Todos os posts resultam de um contacto direto entre a fundadora do projeto, Daniela, e os miúdos com quem lidou ao longo dos anos, sobretudo enquanto educadora de infância. Mesmo assim, este projeto não é apenas fruto do que observa enquanto desempenha aquele que tem sido o seu papel profissional.

“Esse contacto é feito tanto no meu trabalho como no meu dia a dia. Além de ter um filho que começou também agora a verbalizar, tenho também uma família com muitas crianças com quem mantenho também contacto”, esclareceu. É que, pelos vistos, Daniela sente que todos os miúdos com que lida veem-na como alguém em quem podem confiar, partilhar as suas experiências e todos os seus pensamentos — sejam eles quais forem. 

Para o seu projeto no Instagram, por norma, Daniela faz questão de escolher as frases que de alguma forma alertam sobre a realidade que os miúdos vivem. “Frases que nos façam parar para ler e pensar”, disse em conversa com a NiS, acrescentando que é através delas que se torna mais fácil para nós, enquanto adultos, percebermos que os mais novos são “excelentes pensadores”.

“Desde que o meu mano morreu que a minha mãe não sai do quarto, mas toda a gente diz que isto depois passa, mas eu sei que ele já não volta”; “eu gosto muito dos animais, eles não me criticam nem com o olhar”; “a tua mãe morreu, mas sabes que ela te abraça na mesma, os fantasmas fazem essas coisas”; “eu não quero ir para casa, não faço nada, só me metem a ver televisão e ninguém brinca comigo” ou “o teu marido faz o jantar? Isso é estranho, o meu pai nunca faz” são apenas alguns dos exemplos que mais estão a inquietar os seguidores desta nova página no Instagram.

Nestes casos que se referem a assuntos mais sérios, Daniela explicou à NiS que tenta ao máximo partilhar, depois de ouvir os miúdos, algumas experiências pessoas para que eles possam compreender um pouco melhor aquilo que estão a dizer e, muito importante, esta seixalense faz sempre questão de garantir que eles sintam que o que estão a dizer e a sentir é realmente importante.

“Dou muitos conselhos e oiço muito. Os miúdos, principalmente os mais velhos, já me disseram que devia abrir um gabinete só para isso”, disse em tom de brincadeira a autora do mais recente conceito online “Desabafos de Educadora”. A questão é que poderá mesmo fazer sentido, uma vez que são vários os pais que têm pedido ajuda a Daniela para conseguirem chegar até aos filhos e compreendê-los.

No entanto, apesar de não ter aberto um espaço físico, viu numa das redes sociais mais virais a oportunidade perfeita para chegar às famílias portuguesas. E tanto o feedback como o alcance que atingiu em tão pouco tempo não poderia estar a ser melhor. “Acredito que esta página teve este alcance rápido porque nós adultos por vezes estamos tão ocupados ou absorvidos pelas nossas rotinas que nos esquecemos de ouvir os mais novos que nos rodeiam. Ao lerem estas frases reais, acabam por ficar mais sensíveis a isso.”

Para o futuro da página “Desabafos de Educadora”, a seixalense responsável admite que gostava de chegar a cada vez mais adultos. O objetivo: levar a gente grande a ter uma outra atenção para com os miúdos, ouvindo-os, não só aquilo que dizem como também aquilo que sentem. “Estamos no fundo a criar adultos e a nossa sociedade precisa, cada vez mais, de adultos mentalmente saudáveis e com boa inteligência emocional”, rematou.

MAIS HISTÓRIAS DO SEIXAL

AGENDA