na cidade

Dante Lourenço: o bebé que tem o álbum de fotografias mais fofo do Instagram

A página "Meu Pequeno Dante" é uma viagem pelas memórias e recordações do protagonista.
A conta registou todo o percurso de vida de Dante.

É possível viajar no tempo. A melhor forma de o fazer é folhear os álbuns de fotografias, que estão espalhados pela casa, e que contêm em cada página uma história, uma lembrança e uma parte da nossa vida. Porém, estes álbuns tradicionais estão a ser substituídos por novas formas de imortalizar esses momentos: o Instagram é uma das opções e Dante Lourenço tem o seu próprio álbum no mundo online.

A ideia de criar uma página dedicada ao crescimento do filho foi da mãe. Amanda Cassimiro, de 29 anos, é neste momento gestante de oito meses de outro rapaz e não está a trabalhar. Por isso, aproveita todos os momentos para tirar fotos ao bebé e construir esta coleção de recordações. “Como sempre usei muito as redes sociais, pensei fazer um Instagram para ele, porque tenho muitas fotos guardadas”, conta à NiS.

Além do objetivo principal, que é Dante poder crescer e lembrar-se de um período feliz da sua vida, a página também ajuda a manter uma ligação de proximidade com os familiares que estão longe, no Brasil. “Um álbum tradicional, como moramos fora, é algo que não dá para toda a gente ver e, assim, o Instagram ajuda. As pessoas que estão longe podem ver e podem seguir”, acrescenta.

Dante a celebrar o seu primeiro aniversário.

Dante instalou-se com os pais na freguesia de Fernão Ferro, onde estão a viver desde dezembro, perto do avô materno do pequeno. “O meu pai tem um mercado aqui e já mora cá há 21 anos. Já a minha mãe faleceu há pouco tempo, daí termos resolvido vir e mudar de vida”, continua Amanda. O processo de adaptação é facilitado pelo clima ameno do Seixal, que agrada à família. 

Foi a morte da mãe de Amanda que a fez perceber, ainda mais, a importância da memória. Ficou com poucas fotos dela que a possam confortar. “Sempre tive fotos desde pequenina, por isso, considero que é importante ele ter as fotos de quando nasceu”, explica. “Acho que é bom, quando ele tiver uma certa idade, pensar: ‘A minha mãe fazia isso para mim’”.

Dante nos primeiros meses de vida.

A personalidade de Dante

Dante Lourenço tem, neste momento, um ano e sete meses e a verdade é que não há ninguém que não goste dele. As palavras são da mãe, que destaca o seu carisma natural e a aptidão para a comunicação. Se gostar da pessoa, Dante parte logo para a interação, começando a conversar e a mandar beijos para toda a gente com quem se cruza.

É quando ele está o mais natural possível, a ser ele próprio, que a mãe mais gosta de captar imagens do filho. Aproveita o dia a dia, que inclui muitos passeios, para isso. “Saímos um pouco todos os dias, porque não gosto de o deixar muito em casa”, diz. “Tento sair todos os dias para um lugar diferente e ele gosta muito de ir ao parque, por exemplo”, acrescenta.

Além das voltas pelo parque, os dias e as fotografias de Dante incluem bolas, carrinhos, ursos de peluche e “um cobertor que arrasta pela casa inteira e que, para onde vai, tem que levar”. O objetivo é deixá-lo à vontade e os resultados estão à vida até para o próprio. “Posto as fotos dele, mostro-lhe e ele gosta de as ver depois”, conta a mãe.

Até ao momento, os comentários têm sido sempre positivos e não existem quaisquer críticas às fotografias que são publicadas. Amanda recebe, inclusive, mensagens de muita gente a querer patrocinar o filho, um dos objetivos para o futuro. “Sempre tive vontade dele ser influencer e, até quando era recém-nascido, recebia várias roupas para divulgar as páginas”, conclui Amanda. “Com o passar do tempo, tive de parar um pouco e fiquei uns meses sem postar muita coisa. Retornei e vou ver se consigo patrocínio para ele”.

As primeiras semanas de Dante no Seixal.

MAIS HISTÓRIAS DO SEIXAL

AGENDA