na cidade

10 conselhos para enfrentar o confinamento de forma positiva

A psicóloga Irina Regueira explicou à New in Seixal quais são as estratégias para que a ansiedade não tome conta de si.
Gerir tudo a partir de casa pode ser complicado.

Este é o segundo confinamento geral desde que apareceram os primeiros casos de Covid-19 em Portugal. Ainda assim, isso não significa que esteja a ser mais fácil do que o primeiro —  em alguns casos até está a causar mais ansiedade.

Para ajudar as famílias a lidar com este confinamento, a New in Seixal falou com a psicóloga clínica seixalense Irina Regueira, que é formada no Instituto Superior de Psicologia Aplicada e conta com vários anos de formação e especialização em Neuropsicologia Clínica e Health Coaching. Tem também o próprio espaço de consultas clínicas na Amora. De acordo com a psicóloga, cada pessoa reage de forma diferente à mesma situação, como é o caso do confinamento.

“As reações podem variar entre pessoas, e também, no tempo, tornando-se importante cuidar do seu corpo e da sua mente, de forma a fortalecer a sua saúde global”, conta.

A New in Seixal reuniu dez estratégias que pode adotar para prevenir situações de ansiedade e lidar melhor com este confinamento.

1. Definir uma rotina diária positiva

A rotina que tinha antes da pandemia ficou quase de certeza alterada. Ainda assim, isso não tem de ser necessariamente mau. Pode aproveitar este momento para reorganizar o seu tempo e criar atividades ou tarefas positivas.

A health coach aconselha organizar e doar roupas ou até testar aquelas receitas que guardou há um tempo. “Planear os seus dias e semana numa agenda pode ser uma das atividades mais benéficas”, refere Irina Regueira. 

2. Mantenha a separação entre o contexto profissional e familiar

“Esteja em teletrabalho ou não, invista em si, levante-se e deixe o pijama de lado”, explica a psicóloga à New in Seixal. Não se fique apenas pela roupa confortável e seja original no vestuário, utilizando “aquela camisa que ainda não teve oportunidade de utilizar” ou até pode organizar dias temáticos com a família.

É importante definir os limites da profissão —  os horários têm tendência a alargar e podem contaminar o ambiente familiar. Além disso, esta especialista refere a importância de ter um espaço exclusivo de trabalho que não seja utilizado para mais nada.

3. Cuide do seu sono

Mantenha um padrão regular de sono ao longo da semana, com alterações menores a uma hora no acordar e deitar. Além disso, crie uma ambiente calmo e acolhedor no quarto sem dispositivos eletrónicos, evitando também o consumo de alimentos, pelo menos, uma hora antes de dormir. “Um sono de qualidade tem um papel fundamental na sua saúde física e mental”, conta a especialista. 

4. Promova a sua vida social com criatividade

“A presença física pode estar condicionada, mas nas suas relações positivas através de uma videochamada, mensagem, e-mail ou através das redes sociais”, explica. A psicóloga clínica recomenda ainda, por exemplo, organizar uma noite de Netflix para assistirem a um filme ou série de forma síncrona, enquanto o comentam, ou organizar uma tarde de jogos em família numa plataforma online.

5. Apoie alguma causa

Pode perguntar a algum amigo, familiar ou vizinho se precisa de algum apoio, ou até tentar ajudar grupos locais (desde que respeite as regras do confinamento). Desta forma, vai poder “fazer a diferença na vida de alguém e sentir-se-á melhor também”.

6. Partilhe as suas emoções e preocupações

Todos reagimos ao confinamento de forma diferente e não há problema em admitir que está ansioso ou triste. É importante partilhar o que sente com quem esteja à sua volta para que se saiba como ajudar. Pode sempre contactar a Linha SOS Voz Amiga (800 209 899) que serve de apoio emocional,.

7. Cuide da sua saúde e alimentação

“Tenha uma alimentação equilibrada, investindo em alimentos funcionais que promovam a sua saúde, estimulem a sua imunidade, reduzam a inflamação e promovam o equilíbrio hormonal”, refere.

Invista também algum do seu tempo numa atividade física frequente que lhe dê verdadeiro prazer, como dançar no quarto, dar uns toques na bola ou até fazer 20 minutos de yoga na varanda.

8. Desligue das notícias

Tem sido um das mais maiores fontes de ansiedade. Ainda assim, a psicóloga recomenda que estejamos informados, desde que seja com moderação. “Escolha um único horário para se inteirar das notícias que considera importantes e procure uma fonte fidedigna”, recomenda.

Deve também evitar ter a televisão ou a rádio sempre ligados com notícias, bem como partilhar notícias de fontes desconhecidas através das redes sociais.

9. Enriqueça o seu conhecimento

Mantenha os seus hobbies, descubra novos interesses ou recorde aquela atividade da adolescência que lhe dava tanto gozo. “Procure os berlindes na garagem e ensine o seu filho a jogar, relembre como tocar guitarra através de tutoriais do Youtube, tenha aulas de dança ou faça um concurso familiar e descubra quem termina o puzzle em primeiro lugar”.

Ainda que não seja possível viajar, pode sempre andar pelo mundo através das plataformas de realidade virtual. Pode, por exemplo, visitar um museu de forma virtual (e sem ter que esperar nas filas) ou até desenvolver uma nova competência com a ajuda do Youtube. “Faça um curso online gratuito através das inúmeras plataformas de aprendizagem associadas a várias universidades de todo o mundo”, refere. 

10. Desfrute da natureza 

Nem todos têm a possibilidade de ter um jardim ou um local verde para fazer um passeio higiénico. No entanto, pode sempre trazer a natureza até si. Cuide de uma planta, leia um livro na varanda enquanto apanha Vitamina D ou abra a janela e respire ar fresco enquanto ouve o vento soprar. O importante é que “seja criativo”. 

MAIS HISTÓRIAS DO SEIXAL

AGENDA