fit

O alimento barato, fácil de preparar e digerir e que ajuda a evitar a sensação de fadiga

Os filetes de pescada destacam-se também pela sua versatilidade, uma vez que podem ser confecionados de várias formas.
Fotografia: Pablo Merchán Montes no Unsplash.

Quem nunca ouviu, em criança, que não podia sair da mesa sem comer o peixe todo, que atire o primeiro filete de pescada. Depois de concluir que não tem motivos para arremessar nada, talvez lhe interesse saber que havia algum fundamento nesta insistência quase tirana, comum a pais e avós, que fez mais pelo interesse dos miúdos na democracia e livre-arbítrio que muitos políticos e filósofos.

A verdade é que são vários os benefícios associados às delgadas fatias de pescada que ainda hoje atormentam uma série de infâncias. Além de ser “rica do ponto de vista nutricional” — “por 100 gramas de filete, o valor energético oscila entre 115 e 160 kcal, consoante seja cozido ou frito” —, distingue-se por constituir “uma boa fonte de proteínas de alto valor biológico”, nota a Deco Proteste. Evita, assim, a sensação de fadiga, completa o Continente.

A cadeia de supermercados salienta, igualmente, a composição de aminoácidos do peixe de sabor leve e cor branca com menos de dois por cento de gordura, que descreve como “completa” e “equilibrada”, uma vez que contém os nove elementos essenciais. “No seu cardápio de vitaminas e minerais constam, principalmente, as vitaminas do complexo B, e minerais como o ferro, magnésio, fósforo, potássio, iodo, selénio e cálcio”, acrescenta.

Todas estas características fazem com que a pescada, que chega ao prato sem espinhas, contribua também para a redução da pressão arterial; reforço da saúde dos ossos e dentes; regulação do funcionamento da glândula tiroide; fortalecimento do sistema imunitário; normal execução das funções cerebrais; recuperação e reforço muscular, enumera a marca.

Por ser um peixe magro, excelente para quem procura uma refeição leve, é de “fácil digestão”, explica a nutricionista Sónia Marcelo, autora do blogue “Dicas de uma Dietista” à NiT. Do mesmo modo, destaca a versatilidade dos filetes de pescada, uma vez que podem ser confeccionados no forno, panados, em papelotes ou estufados.

Para temperar, sumo de limão a gosto, sal, pimenta e alho picado são possibilidades. “Basta deixar marinar por 30 a 60 minutos para preparar um prato saboroso e saudável”, explica o Continente sobre o peixe que diz ser um dos mais consumidos no País. Com tantos pontos fortes, a revelação acaba por não surpreender.

Os filetes de pescada ainda não o convencem? Lembre-se que, como são rápidos e fáceis de preparar, garantem uma boa refeição em minutos.

De modo a manter uma dieta nutritiva e equilibrada, este peixe é apenas uma das muitas opções que devem ser incluídas, regularmente, na alimentação. A batata, por exemplo, é útil para quem pretende eliminar o açúcar do sangue de forma natural e saudável. Já o alho francês pode ser um importante aliado para os que desejam preservar uma aparência mais jovem e cuidada.

Caso o problema sejam as digestões difíceis, aposte nas ervilhas. Se for o sono que lhe causa dores de cabeça, os kiwis e as cerejas talvez ajudem. O pêssego, por seu lado, é um importante cúmplice na luta contra a prisão de ventre. Carregue na galeria para conhecer algumas receitas com este fruto de apenas 66 calorias.

MAIS HISTÓRIAS DO SEIXAL

AGENDA