fit

Afinal, quais são os alimentos que podem ajudar no combate à gripe?

Conheça-os neste novo artigo de opinião da nutricionista Mariana Machado para a New in Seixal.
Laranja, amêndoas e alho aliviam os sintomas. Mas não só.

Há hábitos importantes que ajudam a prevenir que, este ano, a gripe lhe bata à porta. Uma das formas mais simples passa por vacinar-se antes da época sazonal desta epidemia ou de outros vírus a que cada vez mais podemos estar sujeitos. Lavar as mãos com água e sabão também é outro dos comportamentos que o podem ajudar a escapar à gripe. No entanto, é também possível ter uma ajuda para se proteger destes vírus, na sua própria cozinha.

Existem, de facto, alimentos que estimulam o sistema imunitário, mas para que possamos tirar partido deles, devemos refletir seriamente nas escolhas que fazemos na altura das compras. Um aspeto a ter em conta deve ser a preferência de alimentos “verdadeiros” aos processados. E esta escolha torna-se ainda mais importante durante a estação habitual da gripe.

É preciso ter, assim, atenção com aquilo que se coloca dentro do carrinho das compras quando se vai ao supermercado. É importante incluir na dieta alimentos que fortaleçam o sistema imunitário. Na verdade, em qualquer circunstância é crucial que saibamos manter o sistema imunitário nas melhores condições possíveis.

Não vai estranhar que lhe digamos que se torna mesmo importantíssimo manter um estilo de vida saudável, sobretudo sem doenças associadas, o que faz com que seja mais fácil combater agentes externos. Passemos a explicar. Por exemplo, quando existe uma inflamação existe também uma resposta natural do organismo para combater esses agentes externos e, às vezes, também alguns internos. O que pode acontecer é tentar que exista uma solução para minorar esses agentes externos ou para ser mais fácil ultrapassar, caso o sistema imunitário consiga combatê-los de forma mais eficiente. Caso contrário, vamos ter mais barreiras e, claro, fica muito mais difícil esse combate.

Ter uma alimentação saudável e equilibrada é meio caminho andado para se sentir com saúde e energia, mas na hora de reforçar o sistema imunitário há que prestar especial atenção a alguns alimentos. Diariamente podemos consumir alimentos anti-inflamatórios, que acabam por ajudar na prevenção de algumas respostas inflamatórias; praticar uma alimentação saudável; ter um estilo de vida ativo e procurar uma alimentação rica em micronutrientes. 

Estes são alguns dos exemplos das escolhas que se devem colocar em prática no dia-a-dia, principalmente nesta fase. Contudo, é ainda mais importante que estes comportamentos já tivessem sido adotados antes. É claro que se pode já hoje começar a tentar melhorar o sistema imunitário, mas teria sido importante fazê-lo como medida preventiva. A pandemia, neste aspeto, pode ter servido como um alerta para levar ainda mais pessoas a adotar um estilo de vida do mais saudável possível.

Porque é que a alimentação pode ser uma aliada de ouro no reforço do sistema imunitário?

A resposta é simples: com a ingestão dos alimentos certos é possível equilibrar-se o nosso sistema imunitário. Imagine uma espécie de exército a que o nosso organismo recorre para se proteger das agressões: é exatamente isso. Nesse sentido, há alimentos que, pela sua composição nutricional, são mais indicados do que outros.

— Laranja, limão e kiwi: são fontes alimentares de vitamina C, que têm propriedades antioxidantes, ou seja, evitam a oxidação das células do sistema imunitário. Ao consumi-los, impede a morte das células e permite que o organismo esteja mais bem preparado quando for exposto aos agentes agressores.
 
— Cogumelos: são ricos em antioxidantes e selénio. Quando os níveis de selénio no organismo estão baixos, ficamos mais suscetíveis a gripes e constipações. Além disso, os cogumelos também são ricos em vitaminas do complexo B, nomeadamente a niacina (B3) e riboflavina (B2) que fortalecem o sistema imunitário.
 
— Sementes de abóbora: possuem zinco na sua constituição, um mineral que atua e regula a função das células do sistema imunitário.
 
— Amêndoas: são ricas em vitamina E e B3 (niacina). Estas duas vitaminas juntas fortalecem o sistema imunitário e ajudam a combater o stress.
 
— Iogurte: contém bactérias que agem sobre mediadores da resposta inflamatória no organismo, ajudando a combater doenças inflamatórias do intestino.
 
— Alho: combate diretamente a Helicobacter pylori, uma bactéria associada à gastrite, úlceras e neoplasia do estômago. Além disso, possui na sua constituição bioquímica substâncias que estimulam a atividade celular do sistema imunitário.
 
— Espinafres: possuem folato, que participa na produção de novas células e na reparação do ADN. São ainda uma boa fonte de fibras, antioxidantes e vitamina C.
 
— Batata doce: contem betacaroteno e vitamina A. A sua atividade antioxidante pode estar ligada ao combate do envelhecimento e à redução do aparecimento de alguns tipos de neoplasia.

— Água: a ingestão de água, natural ou sob a forma de tisanas ou infusões, contribui para a hidratação do organismo beneficiando as suas defesas. Sem esquecer que a água deve ser ingerida, mesmo não existindo a sensação de sede, dado que esta, quando aparece, é muitas vezes um sinal de que o organismo se encontra desidratado. No caso de a gripe ou a constipação lhe já estar a bater à porta lembre-se que a hidratação é o principal cuidado a não esquecer. Febre, tosse, espirros, e em alguns casos, vómitos e diarreias provocam naturalmente desidratação e, portanto, é fundamental manter o corpo hidratado. 

Lembre-se que uma boa alimentação não impedirá de ter uma gripe ou uma constipação, mas ajudará o seu organismo a reagir melhor à doença.

Que vitaminas e minerais melhoram a gripe?

Muitos micronutrientes presentes nos alimentos são benéficos e indicados para quadros de gripe e constipação. Entre eles, temos os seguintes:

— Vitamina A: antioxidante natural, participa da formação dos ossos, dentes, cabelos, olhos, pele e mucosas;

— Vitamina C: antioxidante, promove a cicatrização e recuperação de tecidos, além de ajudar no controle de inflamações;

— Vitamina E: combate o envelhecimento precoce e fortalece a ação dos glóbulos brancos do sistema imune;

— Zinco: conta com ação anti-inflamatória, recuperando tecidos infetados e melhorando a imunidade;

— Selénio: fortalece a imunidade e também conta com ação anti-inflamatória.

Para saber mais sobre estas e outras questões, pode marcar uma consulta, presencial ou online, com a nutricionista Mariana Machado através da página de Instagram, do site, do email (mmnutricoach@nullgmail.com) ou do contacto (937 952 587).

MAIS HISTÓRIAS DO SEIXAL

AGENDA