fit

Como conviver com um narcisista sem ficar doente?

A psicóloga Sofia Andrade explica neste novo artigo de opinião tudo o que precisa de saber sobre a perturbação narcisista.
É mais complexo do que pensa.

Os indivíduos narcisistas são mestres manipuladores. Estão sempre à procura de alguém que cuide das suas necessidades emocionais, que faça tudo do seu modo e que assuma a culpa pelas suas falhas. Esses indivíduos traçam objetivos e exigem que os outros o sigam. Se está num relacionamento com um limítrofe ou narcisista, descobrirá que é muito difícil não dedicar todo o seu tempo e energia às suas necessidades e à custa do seu próprio bem-estar.

Num relacionamento com um indivíduo narcisista, mesmo que ele esteja a fazer psicoterapia e num processo de autoconhecimento, aceitação e ressignificação das verdades sobre si mesmo, jamais admitirá a sua personalidade narcisista. Mesmo que tenha a plena convicção de que a culpa não é sua, admitir a própria personalidade narcísica requer imensa coragem e humildade.

Como psicóloga trago nesta abordagem discernimento, compaixão e alguns conselhos para pessoas que precisam de conviver com um limítrofe ou narcisista. Compartilhando técnicas que podem definir limites, interromper o padrão de vítima, perseguidor e/ou salvador e neutralizar regras absurdas e até o roteiro fantástico que o narcisista exige que todos sigam.

Torna-se imperativo ainda lembrar que, acima de tudo, o narcisista precisa de ajuda especializada para que possa encontrar maneiras razoáveis de conviver melhor consigo próprio e com os outros. Mesmo que ninguém tenha a culpa de ter um transtorno mental, o fato de ter um transtorno mental não torna a pessoa numa vítima inocente dos seus atos. Ter um transtorno mental não é culpa do paciente, mas a forma como lida com o seu transtorno, sim.

Alguns sinais típicos de um indivíduo narcisista

Como conseguimos saber se o individuo é narcisista? Por vezes, usa-se muito o termo do teste do pato — isto é, se parece com um pato, nada como um pato e grasna como um pato, então provavelmente é um pato. Quero com isto dizer que não há exames físicos de sangue, ressonâncias magnéticas ou determinações exatas que possam identificar um individuo narcisista.

Os psicoterapeutas precisam de seguir apenas observações do comportamento e das atitudes que o indivíduo apresenta. Portanto, menciono aqui algumas características e comportamentos que são sinais típicos de um transtorno de personalidade narcísica. Nem todos esses traços precisam de estar presentes para fazer uma determinação de narcisismo.

De acordo com o Manual Diagnóstico e Estatístico — V (DSM), que usamos como guia, um indivíduo precisa de ter apenas 55 por cento ou mais das características identificadas para ser diagnosticado com transtorno de personalidade narcisista.

Existem muitos tipos de narcisistas, porém foram selecionadas apenas 15 características que todos têm em comum. Carregue na galeria para as conhecer.

MAIS HISTÓRIAS DO SEIXAL

AGENDA