fit

As vantagens para os miúdos das novas regras de comida nas escolas

A nutricionista Mariana Machado explica como o plano do governo para este ano letivo tem várias vantagens para a saúde dos alunos — e para o futuro das famílias. Leia o artigo de opinião.
Fique a conhecer as novidades.

Apesar de nos últimos anos termos registado uma melhoria na prevalência da obesidade infantil, é necessário salientar que ainda uma em cada três crianças (29,6 por cento) tem excesso de peso e 12 por cento apresenta sinais de obesidade. O que significa que esta continua a ser a doença mais comum na infância.

Em Portugal, surgiram ainda mais casos de obesidade infantil durante a pandemia. Um estudo, da autoria de investigadores do Instituto Ricardo Jorge, revela que o confinamento piorou os hábitos alimentares e diminuiu a atividade física.

Para uma melhoria significativa destes índices, o governo tomou a decisão da proibir a venda nas escolas de uma extensa lista de produtos alimentares que, no entendimento da Direção-Geral da Saúde, atentam contra a saúde das crianças e dos jovens.

São mais de meia centena de produtos proibidos nas escolas, como uma nova redução de sal, de açúcar e mais um corte em alimentos com elevado valor energético. Produtos como sandes de chouriço, croissants, empadas ou batatas fritas passam a ser proibidos nos bares das escolas públicas, onde também deixará de haver hambúrgueres, cachorros-quentes e sumos com açúcar adicionado.

Esta lista extensa limita a “venda de produtos prejudiciais à saúde” nos buffets escolares e nas máquinas automáticas. As sobremesas doces como mousse de chocolate, leite-creme ou arroz-doce devem dar lugar à fruta. Já os chocolates e barritas de cereais podem ser substituídos por snacks de fruta desidratada sem açúcar ou snacks à base de leguminosas, que contenham pelo menos metade de leguminosas e um teor de sal inferior a um grama.

O pão, fruta fresca e saladas são alguns dos alimentos obrigatórios, que define ainda a obrigatoriedade de disponibilizar sopa de hortícolas e leguminosas nas escolas com ensino noturno. Sobre as máquinas de venda automática, o Governo sublinha que só devem ser utilizadas quando o serviço de buffet é insuficiente e que só poderão vender o que é permitido nos bares.

Quando as aulas começarem, as escolas já não deverão ter os alimentos proibidos de venda dito pelo governo, mas sim a oferta de refeições “nutricionalmente equilibradas, saudáveis e seguras”. As alternativas poderão passar por pão com queijo meio-gordo ou magro, ovo, fiambre pouco gordo, atum ou outros peixes de conserva com baixo teor de sal ou pão com pasta de produtos de origem vegetal à base de leguminosas ou frutos oleaginosos, uma vez que todos estes são alimentos autorizados.

Por sua vez, estas sandes devem ser acompanhadas com produtos hortícolas, tais como alface, tomate, cenoura ralada e couve roxa ripada, sugere o ministério da Educação no despacho.  

As bebidas também sofreram alterações, passando a ser proibido vender nas escolas públicas refrigerantes de fruta, com cola ou extrato de chá, assim como águas aromatizadas, refrescos em pó, bebidas energéticas e preparados de refrigerantes, pois contem valores muito calóricos e prejudiciais à saúde. Em alternativa, os bares serão obrigados a ter água potável gratuita, assim como garrafas de água, leite e iogurtes, ambos meio-gordo e magro.  

Estas regras implementadas pelo governo têm como objetivo transformar a alimentação dos mais jovens, e levar estes hábitos para fora do âmbito escolar, servindo de exemplo para a alimentação fora da escola. É de extrema importância que estes hábitos sejam contínuos também em casa, e que exista um desapego da alimentação prejudicial para a saúde de todos. Estima-se que estas medidas implementadas pelo Governo para escolas públicas, sejam uma reeducação alimentar para os mais jovens a longo prazo.

Pode marcar uma consulta, presencial ou online, com a nutricionista Mariana Machado através da página de Instagram, através do site, do email (mmnutricoach@nullgmail.com) ou do contacto telefónico (937 952 587)

Quais são os benefícios destas regras implementadas na escola por uma alimentação saudável?

  • 1. Melhora o rendimento e concentração;
  • 2.Regula a produção de hormonas;
  • 3.Melhora a qualidade de sono;
  • 4. Boa disposição;
  • 5. Promove o crescimento e renovação de tecidos;
  • 6.Diminui o risco de doenças;
  • 7. Garante energias.

MAIS HISTÓRIAS DO SEIXAL

AGENDA