cultura

Um dos capitães de Abril vai apresentar um livro no Seixal este sábado

A entrada é livre e qualquer um pode conhecer o mais recente trabalho de Duran Clemente, “Crónicas de Um Insubmisso”.
Imagem: Arquivo RTP.

Capitão de Abril atualmente reformado, Duran Clemente nasceu em Almada, a 28 de junho de 1942. Foi um dos capitães da génese clandestina do Movimento das Forças Armadas na Guiné, eleito para a 1.ª comissão do Movimento de Capitães em 1973, tendo sido um dos líderes do Movimento dos Capitães, na Revolução de 25 de Abril de 1974, no âmbito da qual ajudou a organizar a defesa da sede do Governo em Lisboa, onde enfrentou as tropas leais ao regime.

Também foi autarca no Município de Lisboa. Na Câmara Municipal do Seixal foi assessor e desempenhou cargos de administração em entidades municipais deste concelho. Tem sido homenageado e condecorado por diversas entidades pelo seu importante papel na Revolução dos Cravos e pela luta em defesa dos trabalhadores e do povo. É ainda autor de vários livros e obras coletivas.

Agora, prepara-se para apresentar o mais recente trabalho, “Crónicas de Um Insubmisso” com a companhia de Dulce Simões, antropóloga e autora do prefácio, Rui Pereira, professor universitário e jornalista, e Maria Esther, da editora Modocromia. A apresentação irá decorrer nos Serviços Centrais da Câmara Municipal do Seixal este sábado, 18 de maio, às 16 horas.

Segundo o prefácio da obra, o livro reflete a diversidade dos atores da revolução portuguesa e confirma a experiência de outros processos políticos que levaram a concluir que uma revolução é como Saturno e devora os seus filhos ou à conclusão de Rosa do Luxemburgo de que uma revolução não tem ensaio geral.

“O caminho faz-se caminhando e o caminho e a viagem são mais interessantes e mais estimulantes do que o ponto de chegada. Sob a forma de crónicas, encontramo-nos perante a memória de Manuel Duran Clemente, de uma personagem de romance que Georg Lukács designou por herói-problemático, aquele que se encontra em rutura com o mundo devido à degradação dos valores que considerava autênticos e justos numa sociedade de conformismo”, pode ler-se na sinopse.

O livro está à venda por 13,50€ em diversos sites e livrarias. Tem uma capa brochada e conta com 254 páginas.

MAIS HISTÓRIAS DO SEIXAL

AGENDA