cultura

Seixal World Music traz concertos gratuitos de Buba Espinho e Lucibela

Festival conta com um programa diversificado, que inclui a atuação de uma banda vinda da Palestina.
Buba Espinho.

A música é um traço cultural único e a expressão da identidade de um povo. Com o foco na tolerância, conhecimento e paz entre todos os povos, a Câmara Municipal do Seixal vai levar o Seixal World Music até ao Parque Urbano José Afonso. Marcado para os dias 31 de maio e 1 e 2 de junho, este evento musical gratuito pretende trazer artistas de diversas partes do mundo para dar aos seixalenses um momento cultural único e rico em experiências.

Além da música, não faltará o tradicional espaço dedicado às associações de imigrantes do concelho do Seixal, sempre com muita animação, gastronomia, artesanato e muito mais. Ou seja, este será um espaço onde a cultura e os costumes irão quebrar barreiras, sendo uma oportunidade para conhecer novos costumes, comidas, danças e, sobretudo, ritmos e música, sempre com um toque português entre as atuações.

O festival arranca com a versatilidade da italiana Maria Mazzotta, no dia 31 de maio, pelas 21 horas. Esta característica é o que a torna uma das vozes mais importantes da cena musical da região italiana de Apúlia e também das músicas do mundo. Desde 2020, ano que marcou a sua estreia a solo com o lançamento do álbum “Amoreamaro”, já percorreu milhares de quilómetros, realizando mais de 200 concertos em mais de 25 países da Europa, América Latina e Ásia.

No mesmo dia, às 23 horas, Buba Espinho, natural de Beja, sobe ao palco para dar voz à música tradicional portuguesa. Apesar da sua tenra idade, Buba cruza géneros musicais como ninguém e viaja do cante ao fado com a mesma mestria com que domina a música pop nacional e as sonoridades mais urbanas e atuais. As mais recentes atuações de Buba consagram-no como o cantautor que há muito despertava dentro dele e são o resultado de toda a sua vivência em Beja e no mundo da música de raiz, do fado e, mais recentemente, da pop.

Dia 1 junho, pelas 21 horas, será a vez dos seixalenses aprenderem e ouvirem um pouco de música cabo-verdiana. Lucibela lançou o primeiro disco “Laço Umbilical” e desde então fê-la percorrer o íntimo caminho entre o ser e a terra, dando voz de forma sublime a clássicos e prestigiados compositores cabo-verdianos, num prisma de maturação que a levou rapidamente a integrar alguns dos maiores festivais e salas por todo o mundo.

Em tributo à mulher cabo-verdiana, e a todas as mulheres, “Amdjer”, o seu segundo disco, realça a força e a alegria de viver, apesar das angústias e desafios do dia a dia. Ao vivo, irradia o sentimento envolvido na genuína tradição musical da alma cabo-verdiana.

Por volta das 23 horas, o grupo Bandua vai apresentar uma combinação de folk e música eletrónica. Concebido pelo músico e produtor luso-brasileiro Tempura the Purple Boy, agora residente em Berlim, e pelo cantor e versátil músico português, Edgar Valente, Bandua representa a primeira vez em que estas sonoridades, poemas e canções são transformadas num som pop eletrónico de língua portuguesa.

O Seixal World Music encerra com a presença da banda palestiniana 47Soul. Este grupo junta hip-hop, música eletrónica e R&B com ritmos tradicionais da Palestina. Cantam em árabe e inglês e prometem trazer muita animação ao Seixal, partir das 20 horas.

O evento termina com a atuação da rainha do kuduro, Pongo, às 22 horas. A angolana é uma força da natureza, tanto dentro como fora do palco. A sua energia contagiante e criatividade notória fazem com que misture a sua herança musical com ritmos arrepiantes desde a primeira batida.

O recinto abre todos os dias às 16 horas. Lá, poderá encontrar diversos spots de comida internacional, com destaque para a Associação Cabo-Verdiana do Seixal, Potu Betu — Associação para o Desenvolvimento Social Solidariedade e Cooperação com São Tomé e Príncipe, AAGA — Associação de Apoio à Comunidade dos Países de Língua Oficial Portuguesa, ANALP — Associação dos Naturais e Amigos de Lobata em Portugal (São Tomé e Príncipe), Kamba – Associação de Angolanos do Concelho do Seixal, Associação Raízes do Bairro de Santa Marta e a Associação Juntos Sem Fronteiras.

MAIS HISTÓRIAS DO SEIXAL

AGENDA