cultura

Seixal recebe exposição ao ar livre de Ticiano Rottenstein

Desta vez, o tema centra-se nos monumentos megalíticos erguidos pelos nossos ancestrais.
Obras são inspiradas em monumentos megalíticos.

Todos nós acabamos por fazer parte de uma história, algo que ainda não foi contado. Hoje estudamos e conhecemos civilizações como os egípcios, os gregos, os romanos, todos eles deixaram um pouco de cultura e conhecimento para as gerações futuras. O que nós vamos deixar? Poluição? Uma metrópole conturbada? Estes são os motes que moveram o novo trabalho de Ticiano Rottenstein.

Ao todo, as esculturas vão estar em dois pontos do concelho, um na Avenida Silva Gomes em Amora e o outro na Avenida da República em Arrentela. Sim, as exposições vão estar na rua, por isso não estranhe.

Dia 29 de julho, às 18h30, é o momento que vai marcar a inauguração desta obra inspirada pelos monumentos megalíticos erguidos pelos nossos ancestrais. Aqui existe uma releitura contemporânea carregada de novos simbolismos e interpretações.

Agora em vez deste local se destinar ao culto de divindades e da natureza, os cromeleques propostos pelo artista veneram o consumo e o capital. Assim se levanta a reflexão, o que queremos deixar para as futuras gerações e, sobretudo, qual é o nosso legado.

Desta vez os monumentos não vão ser erguidos com elementos naturais, mas sim com madeiras provenientes da era pós-industrial do Seixal, já que agora é isso que nos representa enquanto sociedade moderna. Na Avenida Silva Gomes pode encontrar cinco esculturas construídas a partir de madeiras. Já na Avenida da República será possível observar uma escultura construída a partir de blocos de cortiça encontrados na fábrica Mundet.

Pode apreciar estas obras de arte nos pontões de Amora e Arrentela, na baía do Seixal, até ao dia 15 de setembro, por isso vá com calma e faça uma análise detalhada às esculturas, vai valer a pena pensar sobre o assunto.

MAIS HISTÓRIAS DO SEIXAL

AGENDA