cultura

Sabia que as filmagens de “The Crown” e “Bridgerton” acontecem na mesma casa?

É uma das propriedades mais usadas nas produções históricas no Reino Unido. E supostamente já provocou um conflito entre as duas séries.
O quadro do conde de Pembroke atrás.

Perto da cidade de Salisbury, no sul de Inglaterra, fica a propriedade histórica de Wilton House, a casa de campo dos condes de Pembroke. O primeiro edifício ali construído data do longínquo ano de 871. Depois disso, passou por várias fases, proprietários e estruturas. Nas últimas décadas, tornou-se o sítio favorito das séries e filmes históricos passados no Reino Unido.

Por causa do seu edifício majestoso, e dos enormes jardins envolventes, a Wilton House — que durante alguns períodos do ano está aberta ao público — tornou-se uma referência cinematográfica na Grã-Bretanha.

Ali foi gravada nos anos 80 a parte 2 da sitcom “Blackadder”, de Rowan Atkinson. Mas também filmes como “Barry Lyndon”, de Stanley Kubrick; “Orgulho e Preconceito”, de Joe Wright; “Sensibilidade e Bom Senso”, de Ang Lee; ou o mais recente capítulo de “Tomb Raider”, que estreou em 2018.

Além disso, foram ali filmadas cenas de filmes como “Revolta no Pacífico”, “A Jovem Vitória”, “A Loucura do Rei George”, “Sua Majestade, Mrs. Brown”, “Emma.”, “Tchaikovsky, Delírio de Amor” ou “Lady Caroline”, entre outros. 

Foram usadas partes da propriedade para gravar episódios de “Outlander”, do reality show “Britain’s Next Top Model” ou o programa “Bargain Hunt”.

Mais recentemente, a Wilton House tornou-se a casa de duas das mais populares séries originais da Netflix: “The Crown” e “Bridgerton”

Em “The Crown”, a série que estreou em 2016 e que relata a história (mais ou menos) verdadeira da família real britânica, o local foi usado para recriar o Palácio de Buckingham, a residência oficial da rainha.

Já “Bridgerton”, cuja primeira temporada estreou no Natal do ano passado, baseia-se na saga de livros bestseller de Julia Quinn — centrando-se em romances mais ou menos arranjados entre a nobreza britânica do século XIX.

Esta série, dos mesmos produtores de “Anatomia de Grey”, usou a Wilton House como exterior da casa do Duque de Hasting. O interior foi usado para as cenas da casa do duque com Daphne, o castelo de Clyvedon. 

Um conflito entre “The Crown” e “Bridgerton”?

As duas séries da Netflix vão gravar as próximas temporadas em simultâneo. “The Crown” começa a rodagem da sua quinta temporada já no próximo mês de julho, enquanto as filmagens da segunda temporada de “Bridgerton” arrancaram algures durante a primavera.

Segundo o jornal britânico “The Sun”, que citou uma fonte próxima, no início do ano houve um conflito de agendas entre as duas séries, que queriam usar a Wilton House ao mesmo tempo. A Netflix terá ajudado a resolver o problema, já que o que a plataforma de streaming menos queria era mais atrasos, depois de tudo o que aconteceu com a pandemia e a suspensão das gravações em todo o mundo.

“Só há algumas propriedades que funcionam para gravações. É uma grande dor de cabeça”, disse a fonte ao “The Sun”. A Netflix nunca comentou oficialmente o assunto.

A sala mais requisitada de todas

A divisão mais requisitada da Wilton House — e a maior de toda a propriedade — é a Sala Cubo Duplo. Tem um enorme retrato do quarto conde de Pembroke e da sua família, pintado no século XVIII, que aparece em “The Crown” quando vemos as pequenas Isabel e Margarida; e também em “Bridgerton” quando as pretendentes daquele ano são apresentadas a Charlotte no fictício palácio de Saint James.

A mesma sala foi usada para quando vemos a princesa Diana a dançar na última temporada de “The Crown”. Contudo, o ângulo escolhido para filmar foi o oposto, pelo que não se vê a pintura do conde de Pembroke.

Carregue na galeria para conhecer algumas das principais novidades da televisão e das plataformas de streaming.

MAIS HISTÓRIAS DO SEIXAL

AGENDA