cultura

Letícia Contradança, o novo talento seixalense que canta Amy Winehouse

A jovem de 17 anos venceu o concurso “Canta! 2024” e quer construir uma carreira no mundo da música.
A cantora.

Letícia Florentino Contradança tinha apenas 11 anos quando viu, pela primeira vez, Amy Winehouse na televisão. Na altura, a jovem ficou impressionada com o cabelo e a pintura dos olhos, considerando-a uma personalidade estranha. Ainda assim, começou a ouvir algumas músicas e a paixão foi imediata, depressa memorizou as letras e já cantava em inglês os temas com maior sucesso.

Agora, com a mesma inspiração de há seis anos, Letícia, natural de Miratejo, venceu o festival “Canta! 2024”, um concurso interescolar de talentos musicais do concelho do Seixal, em representação da Escola Secundária João de Barros, com o tema de Amy Winehouse, “Me & Mr Jones”.

“Vencer foi um misto de sentimentos, mas sobretudo diverti-me. Já tinha participado noutros anos e este concurso sempre esteve presente na minha escolar. No 12.º ano, foi fantástico conquistar o primeiro lugar contra outros concorrentes muito bons”, diz à New in Seixal.

O concurso apareceu na vida de Letícia quando ainda tinha 12 anos. A mãe foi até esta escola tratar de assuntos de matrícula e acabou por ver o cartaz do concurso. Quando chegou a casa falou com a filha e disse que um dia tinha de se inscrever.

Quando Letícia entrou para a Escola João de Barros no 10.º ano, reviu o cartaz e lembrou-se das palavras da mãe. Inscreveu-se e confiou a 100 por cento no seu talento, mas acabou por nem sequer chegar ao pódio do concurso ‘Canta!’.

“Confiava muito na minha voz e sempre pensei que era uma questão de talento, mas a verdade é que estava enganada. Comecei a treinar imenso e a trabalhar a minha voz, tinha mesmo de me esforçar. No ano seguinte, entrei outra vez no concurso e fiquei em segundo lugar”, conta.

Parece que à terceira foi de vez e Letícia acabou mesmo por ser a melhor numa avaliação que contava como parâmetros a voz, a presença em palco, a confiança e a interação com o público. Esta vitória garantiu-lhe 75€ em cartão Fnac e um concerto de abertura no Festival da Liberdade, que irá decorrer no dia 15 de junho, às 21 horas, no Parque Urbano da Quinta da Marialva, com a presença de Papillon e T-Rex.

Letícia gosta muito da melancolia musical e considera que o jazz e blues são as suas áreas mais fortes no mundo musical. Depois da vitória foi convidada a integrar a banda lisboeta Disrupt e pretende seguir uma carreira como artista musical.

“Não gosto só de cantar, quero aprender alguns instrumentos, inclusive já toco um pouco de bateria. Na edição do ano passado do “Canta!”, o baterista teve de ser substituído e quem veio foi o baterista dos Sogranora do Seixal, falei com ele e disponibilizou-se a ensinar-me”, revela.

Além da música, sempre teve um amor incondicional pelas artes, desde nova que queria frequentar a escola António Arroio, uma instituição de ensino de Lisboa especializada em artes. Não conseguiu entrar, mas diz que foi o melhor que lhe aconteceu, já que conheceu grandes amigos na Escola João de Barros.

Seja para cinco ou para 500 pessoas, sente sempre um nervoso miudinho. Quantas mais pessoas tem a ouvi-la, mais realizada fica, porque assim consegue transmitir a mensagem a um maior número de espectadores.

“Quero transmitir que aquilo que faço é o que mais gosto de fazer. Quando canto, faço uma espécie de uma meditação, quero que entendam o meu amor e o espelhem naquilo que gostam de fazer, se viverem o sonho e o amor com intensidade, de certeza que cada um vai ter sucesso à sua maneira”, conclui. Letícia pretende continuar no mundo da música profissionalmente, porém, diz que quer estudar e ter como plano B uma atividade no mundo da fotografia ou artes plásticas.

MAIS HISTÓRIAS DO SEIXAL

AGENDA