cultura

Impostor do Tinder é processado pelo milionário Leviev — e acaba burlado no Instagram

O cenário não está nada bom para Shimon Hayut, o vigarista mais conhecido da Netflix, que continua a levar uma vida luxuosa.
Só ainda não pagou as dívidas

Hoje em dia, o nome de Simon Leviev é conhecido por todo o mundo: o impostor do Tinder que burlou dezenas de mulheres e deixou atrás de si um rasto de dívidas e de vidas destruídas. Foi graças ao documentário da Netflix que a identidade do israelita foi finalmente escancarada, apesar de a sua história ter sido revelada por vários jornais.

O escândalo atingiu proporções mundiais graças à produção da plataforma de streaming e elevou Leviev, que é na verdade Shimon Hayut, ao estatuto de celebridade. Contrariamente ao que seria de esperar, Hayut não só voltou ao Tinder como é agora uma espécie de celebridade nas redes sociais — e aparentemente voltou ao seu estilo de vida luxuoso. Como? Ninguém sabe.

Seja como for, a vida parece estar prestes a entregar a Hayut uma boa e merecida dose de karma. O castigo tem a cortesia, ironia das ironias, dos Leviev.

O processo deu entrada em fevereiro nos tribunais de Tel Aviv, em Israel, e acusa o israelita de “se fazer passar pelo filho de Lev Leviev” e, dessa forma, obter diversos tipos de benefícios. O nome da família foi também usado como parte central da burla e da história com que Hayut ludibriava as mulheres que seduzia no Tinder.

Lev Leviev nasceu na União Soviética, no território que é hoje o Uzbequistão, e tem agora nacionalidade israelita. É também um multimilionário com fortuna feita no negócio dos diamantes e ligações íntimas a família Yeltsin e a Vladimir Putin.

Segundo o seu advogado, a guerra contra Hayut vai ser total. “Na próxima fase, iremos apresentar um pedido de indemnização a Hayut e a todos os que trabalhem a seu lado, incluindo vários sites que têm com ele diversas colaborações ou que usem a sua imagem. Todos os que tentarem capitalizar este esquema serão processados.”

Hayut usou durante vários anos a identidade falsa, alegando ser filho do magnata dos diamantes. No Tinder, fazia-se passar por milionário e ia burlando mulher atrás de mulher, sobretudo com o seu estilo de vida luxuoso, que dependia dos empréstimos feitos pelas burladas.

Acabaria por ser detido na Grécia, em 2019, e condenado a 15 anos de prisão. Cumpriu apenas cinco meses e foi libertado graças a uma redução de penas por causa da pandemia. As mulheres vítimas do esquema continuaram presas aos empréstimos com juros altíssimos. Hayut voltou à sua vida normal.

Na pele de influencer, continua acompanhado de modelos — neste caso de Kate Konlin, a modelo israelita-ucraniana — e a viajar em grande estilo, em carros desportivos de luxo e jatos privados. A justiça, ainda que de forma leve, acabou por ser feita.

De acordo com o “TMZ”, Hayut acabou mesmo por provar do próprio veneno, ao ser burlado num esquema de Instagram que lhe prometia garantir o tão desejado visto azul dado às contas verificadas pela rede social. Hayut foi abordado por outro perfil na rede social sob o nome de Richnana, outra influenciadora com o cobiçado sinal azul.

Em privado, foi oferecida a possibilidade a Hayut de pagar para ter acesso ao símbolo. Richnana alegava ter conhecimentos no interior da Meta que, por um preço, poderiam facilitar a atribuição do visto azul.

O esquema tornou-se mais elaborado, à imagem dos que Hayut usou para enganar dezenas de mulheres. Os burlões combinaram uma chamada de vídeo, onde simularam estar na sede da Meta, num escritório com vários trabalhadores a passearem no fundo da imagem. O israelita ficou convencido.

O negócio deveria garantir o visto azul não só para o seu perfil, mas também para o da sua namorada Kate Konlin. Teria apenas que pagar perto de seis mil euros — que foram prontamente enviados através do PayPal. Como bónus, iriam também ser apagadas as dezenas de perfis falsos criados com imagens de Simon Leviev.

Terá sido o agente de Hayut quem deu o alerta para a potencial burla. Quando contactaram diretamente a Meta, perceberam que tinham sido enganados — e os burlões já haviam desaparecido.

Esta história não tem, contudo, um final totalmente feliz. Apesar de ter ficado sem alguns milhares de euros, Hayut acabaria por, ironia dos destinos, receber mesmo o visto azul de verificação do Instagram.

MAIS HISTÓRIAS DO SEIXAL

AGENDA