cultura

Festival de Cannes: os filmes portugueses em destaque (e todos os outros imperdíveis)

Há várias produções nacionais no mais prestigiado dos festivais de cinema. E muitos filmes que poderão destacar-se nos Óscares.
“Crimes of the Future” é um dos filmes da lista.

Desde 1946 que todos os anos acontece o Festival de Cannes, em França, que com o tempo conquistou um estatuto de culto na indústria do cinema — por lá passam, anualmente, os grandes filmes do ano. Tanto há tendências de nicho como grandes produções de autor que acabam, muitas vezes, por arrecadar prémios importantes como Óscares ou BAFTA.

A edição de 2022 arrancou esta terça-feira, 17 de maio, e prolonga-se até dia 28. Por lá haverá vários filmes portugueses em destaque. Um deles é “Restos do Vento”, realizado por Tiago Guedes, produzido por Paulo Branco e protagonizado por Albano Jerónimo — a mesma equipa que concebeu “A Herdade”, que foi uma sensação internacional.

A narrativa volta a passar-se no interior de Portugal, onde uma tradição pagã deixa marcas profundas e dolorosas num grupo de adolescentes. 25 anos depois, quando eles se reúnem, o passado atormenta-os e instala-se a tragédia. O filme vai ser transmitido numa sessão especial, fora da competição.

Outra das produções nacionais em destaque é “Alma Viva”, da luso-francesa Cristèle Alves Meira. É a sua primeira longa-metragem, que explora o território de Trás-os-Montes e se centra numa rapariga que, vinda de França para passar férias numa aldeia com a avó, é acusada de ser uma bruxa. 

A programação inclui ainda a exibição das curtas-metragens “Fogo-Fátuo”, de João Pedro Rodrigues; “Ice Merchants”, de João Gonzalez; e “Mistida”, de Falcão Nhaga. Há também a co-produção luso-francesa “Tout Le Monde Aime Jeanne”, da cineasta francesa Céline Devaux, gravada em Lisboa.

Conheça agora os principais filmes internacionais que deverão brilhar no festival de Cannes — e de que provavelmente vai continuar a ouvir falar durante os próximos meses. 

“Elvis”, Baz Luhrmann

O filme biográfico sobre Elvis Presley, que promete ter uma enorme componente musical e ser uma produção para o grande público, vai estrear no festival de Cannes. Austin Butler, Olivia DeJonge e Tom Hanks serão três dos principais nomes do elenco neste projeto que pretende homenagear e retratar o rei do rock n’ roll.

“Showing Up”, Kelly Reichardt

A cineasta de culto Kelly Reichardt conta uma história sobre uma escultora frustrada — interpretada por Michelle Williams — que está à beira da exposição que pode mudar a sua carreira. Enquanto anseia pela tão desejada inspiração, a sua vida pessoal torna-se cada vez mais absurda.

“Crimes of the Future”, David Cronenberg

O novo filme de David Cronenberg é descrito como ​​um thriller de ficção-científica num mundo onde os humanos começam a deixar de ser seres biológicos para se começarem a ligar ao mundo sintético e robótico. O processo chama-se Síndrome de Evolução Acelerada, uma condição que afeta o protagonista Saul Tenser, um artista de performance que combina este estado com a sua arte. Viggo Mortensen, Kristen Stewart e Léa Seydoux serão alguns dos protagonistas.

“Three Thousand Years of Longing”, George Miller

Antes de regressar à saga que o tornou célebre, “Mad Max”, o australiano George Miller apresenta um épico de fantasia protagonizado por Tilda Swinton (uma académica solitária) e Idris Elba (um génio que lhe oferece três desejos).

“Triangle of Sadness”, Ruben Östlund

Dirigiu filmes aclamados como “Play”, “Força Maior” e “O Quadrado”. Agora, o sueco Ruben Östlund apresenta a história de um casal de supermodelos a bordo de um cruzeiro de luxo. Estão completamente a leste do facto de o comandante marxista do navio estar a preparar um golpe aos seus passageiros. Como habitual, a narrativa promete ter contornos de comédia negra e sátira fervorosa.

“Decision to Leave”, Park Chan-wook

Seis anos após a estreia de “A Criada”, o cineasta sul-coreano Park Chan-wook conta uma história sobre um detetive que se apaixona pela suspeita principal do homicídio que está a investigar.

“Armageddon Time”, James Gray

Uma história sobre crescimento na Queens, Nova Iorque, dos anos 80. Depois de “Ad Astra”, James Gray leva aos espectadores um filme semi-autobiográfico sobre um rapaz que se depara com a família Trump. Anne Hathaway, Jeremy Strong e Anthony Hopkins estão no elenco.

“Men”, Alex Garland

Alex Garland, o cineasta que fez “Ex Machina”, “Aniquilação” e a série “Devs”, apresenta um filme passado numa arrepiante terra inglesa onde todos os homens são idênticos. Jessie Buckley é a protagonista desta história com contornos de terror.

Enquanto aguarda pela estreia de todos estes filmes nos cinemas portugueses, carregue na galeria para conhecer séries novas para ver em casa.

MAIS HISTÓRIAS DO SEIXAL

AGENDA