cultura

Fernando Branquinho lança livro com fotografias incríveis de rostos seixalenses

"Rostos da Terra", que se tornou num sucesso online, recebe agora um formato físico. Está à venda desde 12 de novembro.
Fotografia: Fernando Branquinho.

Foram precisos cerca de dois anos para se dar por concluído o projeto “Rostos da Terra”, de Fernando Branquinho. Ao todo, o projeto congrega várias horas de estruturação, inspiração e de sessões fotográficas que tinham como objetivo resultar num ensaio de retrato. Depois de ter alcançado o seu merecido sucesso nas redes sociais, o conceito saltou do online para um formato físico, nomeadamente para um livro de fotografias. 

Tudo começou de forma muito natural. O retratista seixalense Fernando Branquinho sabia que estava nos seus planos criar um trabalho que começaria por juntar várias pessoas com quem tinha alguma ligação. Foram, na sua grande maioria, amigos que muito admirava os primeiros alvos a serem captados pela sua máquina fotográfica. O curioso é que todos eles tinham alguma ligação ao Seixal e a coleção foi-se formando inesperadamente com rostos que representam o concelho.

“Antes de iniciar este projeto com as pessoas que pretendia fotografar, determinei vários fatores. Faço-o sempre antes de fazer uma coleção de fotografias. Tenho de criar ligações, estruturar e, neste caso, a estrutura e a ligação não é só o Seixal. Acima de tudo é um trabalho de fotografia. Não é um trabalho de criar uma lista de pessoas que tenham sido significativas para o concelho. Nunca foi esse o objetivo”, conta em entrevista à NiS Fernando Branquinho.

A principal ambição do autor de “Rostos da Terra” correspondia, desde o arranque deste projeto, a juntar pessoas que tivessem um trabalho por si considerado válido e que o mesmo fosse apreciador do que têm vindo a desenvolver. Coincidiu, no entanto, serem personalidades que se relacionam, de alguma forma, com o Seixal. Ao todo são 80 pessoas que dão a cara nesta produção fotográfica.

“Tenho pessoas como o Dr. Carlos Ribeiro, o pai da cardiologia moderna em Portugal, ou o Leonel Fernandes, do hóquei, ao Ti João, que dá o nome à praia do Seixal. E todos eles têm histórias incríveis”, sublinha Fernando Branquinho. Entre outros nomes conhecidos no concelho estão os de Nelson e Sérgio Rosado, Luís e Dina, os chefs João Macedo e Vítor Sobral, Rui Unas, o clarinetista Nuno Silva e muito mais.

No leque de figuras apresentadas estão inclusive presentes fotografias de refugiados, ou seja, de pessoas que vieram de outros países e escolheram o Seixal para recomeçar a sua vida. “O destaque foi também dado a pessoas que não fizeram nada em concreto numa determinada área. Basta o facto de serem figuras da terra, pessoas que estão em todo o lado”, esclarece ainda o retratista.

A estética da obra e produção fotográfica

Página a página é possível desde logo identificarem-se fotografias captadas por Fernando Branquinho sempre com o mesmo tipo de luz e com um cenário muito semelhante, disposto em estúdio. O participante é colocado atrás de uma mesa — daquelas típicas de taberna — e sob a mesma foram acrescentados alguns objetos que se relacionam com a atividade que desempenham. Além da fotografia, todas estas pessoas foram entrevistadas e gravadas.

“A maioria daquelas imagens são feitas entre cinco a dez minutos. Tenho uma sessão fotográfica de uma das pessoas em que só fiz uma fotografia, no entanto, estive uma hora e meia a conversar com ela, sendo que a própria fotografia foi feita nesse momento de diálogo. Vou ganhando a confiança da pessoa e faço com que ela não se esconda atrás de uma pose. É isso que um retratista faz.”

Depois de as fotografias captadas terem sido transferidas para livro, a equipa por detrás do projeto percebeu que fazia sentido estes trabalhos fotográficos serem acompanhados por uma pequena frase inspirada nas histórias e nas entrevistas recolhidas aquando do momento da sessão fotográfica e assim foi. No fim do livro pode ainda encontrar-se um índice fotográfico com a indicação da profissão de cada participante.

Recorde-se que este projeto fotográfico foi lançado no dia 12 de novembro. Apesar de se encontrar, menos de um mês depois, praticamente esgotado, ainda é possível encomendar a obra “Rostos da Terra”. Para isso, basta enviar uma mensagem privada para a página do Facebook ou preferencialmente um email para rostosdaterra@nullgmail.com. Custa 40€.

De seguida, com os direitos de autor de Fernando Branquinho, carregue na galeria para conhecer alguns dos rostos seixalenses que surgem neste novo livro.

ver galeria

MAIS HISTÓRIAS DO SEIXAL

AGENDA