cultura

“Fanático”: a nova série espanhola da Netflix é sobre o peso da fama

O protagonista é um cantor que já não aguenta a sua vida. Porém, de repente, tudo muda quando é substituído por um fã.
A cultura urbana contemporânea está em destaque na série.

Quando, em maio, o festival Primavera Sound de Barcelona anunciou uma nova confirmação no cartaz — caracterizando-o como um “ícone da música urbana” que estava de volta — o público estranhou a descrição. Afinal, nunca ninguém tinha ouvido falar de um tal de Quimera. O seu nome nem constava dos horários dos vários palcos. Quem era aquele artista misterioso, cujo rosto nem sequer aparecia no poster de apresentação?

A nova série da Netflix vem explicar esse mistério. “Fanático” estreia esta sexta-feira, 29 de julho, na plataforma de streaming, com dez episódios. E Quimera é a personagem principal. Ou seja, foi uma grande estratégia de marketing por parte da empresa americana.

A série é protagonizada pelo ator argentino Lorenzo Ferro, que interpreta duas personagens: o verdadeiro Quimera, de nome real Salva; e Lázaro, o fã incondicional que roubou a sua identidade. Mas vamos por partes. Quimera é uma estrela internacional que, apesar de todo o seu sucesso, sente-se sufocado pela fama. Tanto que tira a própria vida.

Lázaro é um estafeta de comida, grande fã de Quimera e fisicamente muito parecido com o artista. De repente, vê na morte do seu ídolo uma oportunidade para deixar para trás uma vida de precariedade e miséria. E é assim que, de um momento para o outro, assume a sua identidade. Fica com a sua imagem, a sua música e o seu quotidiano, o que faz com que inevitavelmente renuncie à sua vida real.

Na apresentação oficial de “Fanático”, Lorenzo Ferro — que também é músico, com o nome artístico Kiddo Toto — explicou que para distinguir as duas personagens pensou em tipos diferentes de cães. Imaginou um boxer de “respiração pesada” para interpretar Quimera, e considerou um chihuahua enérgico e ansioso quando fazia de Lázaro. 

Segundo o realizador Roger Gual, a ideia é que a série faça uma crítica algo satírica à indústria da música, à forma como as editoras operam, e à cultura de celebridades e de obsessão pela imagem (e redes sociais) que hoje existe. Gual sublinhou que espera que o público se questione sobre “a necessidade que nós, humanos, temos de não passar despercebidos e o quão obcecados estamos com a cultura de aceitação nas redes sociais”.

Eventualmente, Lázaro vai perceber que não é por morar numa boa casa, a vestir roupas caras, com incontáveis seguidores nas redes sociais, que vai mudar o facto de ter perdido a sua verdadeira vida.

O elenco inclui ainda nomes como Fernando Valdivielso, Dollar Selmouni, Carlota Urdiales ou Eva Almeida, entre outros. O argumento foi escrito por Yago de Torres Peño, Dani del Águila e Federico Maniá Sibona.

Carregue na galeria para conhecer outras novidades da Netflix (e não só).

MAIS HISTÓRIAS DO SEIXAL

AGENDA