cultura

É oficial: a artista pop seixalense Jüra vai atuar em Lisboa em novembro

É um dos nomes confirmados no Festival Super Bock em Stock, que decorre nos dias 25 e 26 na capital portuguesa. Fique a par de tudo.
Marque na agenda.

Bastou uma primeira atuação no Estúdio Time Out, em maio deste ano, para a jovem artista seixalense Jüra sair do anonimato e impor-se no cenário da música pop portuguesa. Desde então, atuou no Palco Coreto do NOS Alive’22, passou pelo Festival F em Faro e sabe-se agora que é um dos nomes anunciados para atuar no Festival Super Bock em Stock, em Lisboa.

Com sonoridades muito próprias, Jüra encontra-se agora a preparar um concerto baseado naquele que é o seu EP de estreia: “jüradamor”. Deste trabalho musical surgiu uma mão cheia de singles que têm feito sucesso e que alcançaram o seu lugar em diversas rádios de norte a sul de Portugal. “Diz-me” foi o tema que marcou, em janeiro, a estreia deste projeto e “Nua” veio encerrá-lo em grande. “Porquê?” é o nome da música que mereceu o grande destaque no meio de todo o primeiro EP da artista.

Anteriormente, já entre os ritmos do Pop, R&B e o Hip Hop, Jüra tinha conquistado os portugueses fãs de música nacional emergente com dois temas: “És o Amor” e “somozumnãodois“. Segundo a própria, conta já com o seu primeiro milhão de streams e atingiu, com o single “diz-me” o Top20 airplay em Portugal e o Top Shazam Portugal.

A sua coletânea musical poderá voltar a ser ouvida já no dia 26 de novembro, num concerto que estará entre os mais aguardados do Festival Super Bock em Stock. Os bilhetes para o dia do concerto já se encontram à venda no site oficial deste evento, que regressa em novembro à Avenida da Liberdade para mais uma edição.

Depois disso, Jüra continuará a percorrer Portugal com a sua música, tendo já com duas atuações confirmadas: uma na primeira edição do Festival Authentica em Braga, no dia 9 de Dezembro, e outra no final de 2022 no Teatro Aveirense, a 22 de Dezembro.

Estas são “oportunidades perfeitas para se viver o que é sentir na pele de Jüra, nos altos e baixos da vida, das relações, do amor, da procura da beleza que há na tristeza, porque é na música que encontra a tradução da emoção, da dor e do amor que sente. Porque em Jüra há verdade! É Jüra a jurar amor. A cantar o amor e a dor, do amor”, dia a organização.

MAIS HISTÓRIAS DO SEIXAL

AGENDA