cultura

Atenção, artistas: já se podem candidatar ao projeto Armazém 56

Se vive no Seixal, este é o local ideal para entrar nesta residência artística, em conjunto com outros amantes de vários tipos de arte.
Um espaço de arte e partilha de experiências.

As candidaturas para a quarta residência artística no Armazém 56 — Arte Sx decorrem entre os dias 12 e 21 de fevereiro e são direcionadas a artistas, individuais ou coletivos, que pretendam avançar com projetos, ideias ou exposições artísticas, entre 11 de março e 30 de novembro de 2024. O Armazém 56 — Arte Sx é um espaço da Câmara Municipal do Seixal dedicado às artes visuais contemporâneas, nomeadamente cerâmica, tecelagem, serigrafia, pintura e desenho, restauro, street art e outras manifestações associadas.

O interior está equipado com mufla, roda de oleiro, bancadas de trabalho, com e sem torno, e sala de sujos, sendo que pode ainda acolher ações de formação e workshops, assim como mostras e vendas de produtos criados no âmbito das residências. O espaço exterior permite ainda o desenvolvimento de outras produções artísticas. O armazém fica na Avenida Albano Narciso Pereira.

Se está interessado em integrar a próxima equipa de artistas, que vai alimentar a cultura no território do Seixal, basta enviar um email para armazem56@nullcm-seixal.pt, com a sua biografia em conjunto com um portfólio de trabalhos. Os interessados devem ter mais de 18 anos. A inscrição e uso do armazém é gratuita pelo que, se for selecionado, terá de utilizá-lo entre as 10 e as 20 horas de terça-feira a sábado. Caso seja necessário, pode usar outras horas ou dias da semana, com recurso ao horário de auto-utilização.

Esta residência artística foi criada no âmbito do projeto de requalificação da fábrica corticeira Mundet. Adquirido pela Câmara Municipal do Seixal, o equipamento cultural encontra-se devidamente equipado para acolher o desenvolvimento de trabalhos criativos, em regime de residência artística, assim como a realização de cursos de formação e workshops diversos.

Os objetivos deste novo equipamento incluem apoiar o trabalho e estimular a criatividade dos artistas do concelho, promover iniciativas de carácter inovador que diversifiquem a oferta cultural, formar novos públicos, despertar interesses e aperfeiçoar técnicas e conhecimentos, promover sinergias entre os vários artistas e divulgar o trabalho realizado pelos artistas locais.

Quem foram os artistas que estiveram no Armazém 56, em 2023?

Ticiano Rottenstein, artista franco-brasileiro residente em Amora, é um dos nomes que pode conhecer. Atualmente, realiza uma pesquisa artística, na qual analisa o processo de arruinamento e de decadência da sociedade contemporânea. Também é responsável por alguns monumentos megalíticos em madeira e cortiça espalhados pelo concelho. Se quiser saber mais detalhes sobre a sua carreira, leia a entrevista da New in Seixal. 

Monika Molnár trabalha com pintura em seda há 23 anos. O Armazém 56 — Arte Sx deu-lhe a possibilidade de ter um local calmo e adequado para treinar e desenvolver os processos de pintura em seda e Ecoprint. Para Monika, fazer estas impressões significa criar memórias, salvar a forma única de uma folha ou de uma flor e recordar o círculo da natureza e da vida.

Já Joana Sesta é natural do Seixal, continua a viver no concelho e a produzir arte nesse local. Licenciada em Belas-Artes, já ilustrou livros infantis e deu aulas artísticas a miúdos de várias idades. Para qualquer obra que cria, o conceito é o ponto de partida, mas a intuição e a liberdade no traço e pensamento são imprescindíveis no trabalho desta artista.

Nascida em 1961, em Lisboa, Lucinda Almeida frequentou o curso Profissional Técnico de Cerâmica e Metais, na Escola António Arroio. Um gosto, curiosidade e amor pela cerâmica levaram-na a frequentar o curso de cerâmica na Ar.Co e formações em diferentes áreas da cerâmica, no CENCAL. Licenciada em Arquitetura, enveredou pelo ensino da cerâmica desde 1982, na Escola Secundária António Gedeão, onde exerce atividade como professora. Nos tempos livres, é residente artística no Armazém 56.

Marília Diaz tem mestrado em Arte e Educação e formação em Artes Visuais e Pedagogia. Como artista visual participou em 65 exposições coletivas, 11 delas em dupla e 13 de cunho individual. Já recebeu quatro prémios e dedica-se à cerâmica e aos têxteis, principalmente na linha de pesquisa de género. Tem obras em nove museus e pinacotecas e escreveu 20 livros, sendo que 12 são infantojuvenis.

Formado em Artes Plásticas na FAAP-SP, mestre em Psicologia Clínica pela PUC-SP e psicanalista membro da ALCEP, Curitiba/Brasil, José Cavalhero já coordenou os ateliers de artes visuais para deficientes do Instituto Rodrigo Mendes, em São Paulo. Tem ainda uma especialização em coordenação pedagógica e de atelierista, promovidos pela RedSolare, Argentina, e Reggio Children, Itália. Desde 2020, integra o grupo de artistas na residência do Armazém 56.

Por último, Ricardo Tota nasceu em Lisboa, em 1979, onde foi influenciado desde cedo por presenciar o trabalho realizado nas oficinas de cenografia do cinema Império, em Lisboa. Frequenta a Faculdade de Belas Artes de Lisboa, onde estuda Design de Comunicação e Artes Plásticas/Pintura e realiza na sua formação um trabalho paralelo ao académico, onde bebe um pouco a cultura urbana, graffiti e pintura mural.

MAIS HISTÓRIAS DO SEIXAL

AGENDA