compras

White Bushcraft Leather: a marca seixalense que cria peças únicas em pele

Bolsas para moedas, porta-chaves e cintos são alguns dos artigos que pode encontrar.
Aqui estão algumas.

“Se os outros conseguem, o que me impede de conseguir também?”: foi exatamente este o pensamento que Gustavo Branquinho, um funcionário público, de 47 anos, teve quando decidiu arrancar, há cerca de um ano e meio, com a White Bushcraft Leather.

“A WBL é simplesmente a junção de um gosto pela natureza com o trabalho manual, alicerçado em peças simples e praticamente únicas, acessíveis e de autor”, começou por explicar à NiS o seixalense que está à frente da marca especializada na criação de peças em pele.

Este projeto, que tem autoria e criatividade assente num só homem, começou a dar os primeiros passos quando Gustavo Branquinho se encontrava de baixa por causa de uma cirurgia a um joelho e que, por acaso, até coincidiu com um dos picos mais altos da pandemia.

Com tempo livre, este seixalense meteu, literalmente, mãos à obra e começou “de forma primitiva e sem grandes expectativas” a sua marca própria, que nasceu, na prática, da necessidade que Gustavo tinha de ter artigos específicos para determinadas peças ou utensílios usados no campo, como facas, machados, bolsas e por aí adiante.

E nem teve grandes dificuldades em escolher o nome do projeto que, afinal, chamou literalmente de seu. “Baseou-se numa alcunha profissional. Vários colegas chamam-me White, por associação ao nome de família e nada melhor que o usar na marca pessoal. Aí, juntei Bushcraft, que significa “artes do mato” e leather, para dar alguma universalidade no nome”, revelou em conversa com a NiS.

Dali resulta “praticamente tudo o que se possa fazer em pele”, fez questão de garantir o agora também empresário desta marca portuguesa, que se junta ao universo do artesanato de peças feitas à mão, claro, e em pele. Por isso, pode contar com bolsas para moedas, porta-chaves, bainhas para facas, capas para machados, porta-rádios, entre um “sem fim de artigos, que não se produzem em série e são únicos no seu fabrico”.

Mais recentemente, a aposta deu-se sobre um acessório quase sempre presente nos looks femininos: cintos. E a WBL fez questão de produzi-los em duas versões: uma mais estreita, com um toque muito natural e com linhas simples e outra mais “normal” e da mesma largura do molde do homem, só que com diferença no estilo das fivelas. 

Cinto feminino em pele de cor vermelha.

A marca seixalense tem também participado com a sua arte em alguns projetos na cutelaria de autor com aquelas que Gustavo diz ser “peças muito especiais”, isto porque são “recriações ancestrais de outros povos”. Falamos-lhe de facas oriundas da escócia ou dos Vikings, como é o caso do Dirk e Sgian Dub e a Seax, respetivamente.

Já que tocamos neste ponto de histórias, também vai gostar de saber que recentemente, e assinada pela WBL, também surgiu uma peça produzida a pensar no imaginário da trilogia do Senhor dos Anéis, e que até foi “baseada em alguns estudos” e teve “um toque de originalidade”. Chama-se (e não é difícil de prever) Smeagol. 

Os preços dos artigos começam nos 5€ e não há, na verdade, um limite, uma vez que tudo depois depende do orçamento feito para uma determinada peça. Quanto aos pedidos de encomenda, devem ser feitos através das páginas do Instagram e do Facebook da White Bushcraft Leather. 

De seguida, carregue na galeria para ficar a conhecer algumas das peças em pele assinadas por esta marca seixalense.

MAIS HISTÓRIAS DO SEIXAL

AGENDA