compras

Quer aprender macramé? Esta marca seixalense preparou dois kits especiais de Natal

Ensinam a fazer um suporte para plantas e um mini painel de macramé. A NiS conta-lhe tudo sobre o projeto Amacramé.
Aqui, o painel de folhas.

Para uns, é apenas conhecida como uma técnica que remonta há centenas de anos e que dá, na sua grande maioria, origem a peças artesanais que decoram os vários cantos de casas portuguesas. Para outros, o macramé tornou-se muito mais do que uma simples forma de arte (e de decoração), passando a ser visto quase como uma terapia. Tânia Silva é uma das pessoas que olha para o macramé com esse carinho especial. Não fosse ela a fundadora da Amacramé.

“A Amacramé é uma marca portuguesa e bem seixalense de trabalhos artesanais, que foi criada em 2020”, começou por explicar à NiS a fundadora, de 39 anos, do projeto. “A nossa missão”, continuou, “é ser uma marca de referência dentro do sector da decoração e artesanato, priorizando sempre materiais sustentáveis, a criatividade e o facto de que cada peça criada tenha a nossa identidade e seja única e especial.”

Tânia Silva é administrativa a tempo inteiro, mas sempre que pode tira umas horinhas para se dedicar à marca que, com todo o carinho, fez nascer. “Sempre gostei de dar asas á criatividade e deixar as mãos fazerem o resto”, dizia em conversa com a NiS.

A paixão começou a surgir em casa, quando em pequena passava horas e horas a observar e a aprender tudo o que podia com a mãe. Tricotava camisolas, cachecóis quentinhos para o inverno, e aos poucos, talvez sem se aperceber, crescia o bichinho do que é artesanal dentro dela.

Quanto ao macramé em específico, apareceu na sua vida em março de 2020, numa altura em que estava a viver um momento menos bom. “A vontade de sair de casa era pouca e então comecei a ver centenas de tutoriais para me entreter e foi assim que fiz as minhas primeiras experiências em macramé”, revela.

Em menos de nada já se sentia verdadeiramente apaixonada por esta arte de entrelaçar fios através de nós e à medida que criava as suas peças conseguia silenciar a sua mente e estar completamente focada no que estava a fazer. “Nessa fase inicial, o macramé foi uma terapia que se tornou numa paixão e hoje é um grande amor”, revelou à NiS.

Sentimento que justifica a razão pela qual este projeto seixalense recebeu o nome Amacramé. Pela junção das palavras, significa “macramé com amor” ou, mais previsível, “amar o macramé”. “Cada fio, cada nó é escolhido detalhadamente com amor”, garantiu a empresária, que é formada em Arte e Design. Um detalhe que é levado muito a sério já que, por exemplo, no caso de sentir que o nó “não é o melhor”, Tânia faz toda a questão de o desfazer, voltando “a fazer tudo de novo” e sempre, lá está, “com muito amor (e paciência)”.

Além disso, todas as peças, feitas exclusivamente pelas mãos de Tânia Silva, envolvem “muita dedicação e criatividade”. Prova disso está no facto de cada artigo de macramé ser único e “feito de raiz exclusivamente para o cliente”.

Suportes para plantas, prateleiras, painéis de vários tamanhos e formatos (de folhas, geométrivos, corações e por aí adiante), malas, porta-chaves, molduras, mandalas, árvores da vida e caça sonhos são algumas das peças que pode ver assinadas pela Amacramé. Os preços começam nos 4€. Se forem trabalhos mais elaborados, podem chegar aos 90€.

Por ainda ser o escritório da casa de Tânia o atelier improvisado desta marca de macramé seixalense, todas as encomendas devem ser feitas através das páginas do Facebook e do Instagram, do projeto. Futuramente, está na ordem de planos da Amacramé criar um site onde possa ser possível não só fazer-se as encomendas como facilitar todo o processo de personalização (escolha de cores, tamanhos, do design).

No entanto, antes disso há outras boas notícias. Com o aproximar do Natal, a Amacramé decidiu criar dois kits para que toda a gente possa aprender a técnica. Um deles ensina a fazer um suporte para plantas e o outro um mini painel tradicional de macramé. E não vai precisar de se preocupar com material, porque estará lá tudo o que precisar, com exceção de “uma tesoura, fita métrica e muita vontade de aprender”, apontou à NiS Tânia Silva. Assim que estiver disponível, será anunciado nas redes sociais da Amacramé.

“Tudo o resto é fácil, basta deixarem-se levar pelo relaxamento que esta terapia nos possibilita. Será sem dúvida uma interessante, criativa e surpreendente prenda de Natal para os nossos clientes”, garantiu por fim a empreendedora seixalense.

De seguida, carregue na galeria para ficar a conhecer algumas peças criadas pelas mãos de Tânia Silva e que têm, dessa forma, a assinatura da Amacramé.

MAIS HISTÓRIAS DO SEIXAL

AGENDA