compras

Nesta nova loja online há móveis e artigos de decoração incríveis em segunda mão

Na Casa Aberta pode encontrar tudo o que precisa para a sua casa e a preços amigos da carteira.
Estão disponíveis propostas de qualidade para todas as divisões.

Imagine o seguinte cenário: acabou de alugar uma casa, mas com as despesas iniciais não lhe sobrou muita margem para gastar dinheiro nos móveis e na decoração. Ou vive numa habitação há vários anos e no seu espaço perduram adornos e mobílias há demasiado tempo. Está saturado e quer dar um novo ar ao ambiente, mas para isso não está interessado em fazer um grande investimento. A solução: procurar o que precisa numa loja em segunda mão dedicada a artigos para a casa.

Muitas vezes, os móveis e as peças que se encontram à venda nestes espaços — físicos ou online — reúnem uma série de propostas de qualidade e que, se for ver bem, mal se percebe que não são novos. Pensado e iniciado por dois seixalenses, há um espaço digital perfeito para quem está à procura de dar uma segunda oportunidade (ou vida) a este tipo de objetos. Chama-se Casa Aberta.

Inês Simão, de 27 anos, e o pai, Mário Simão, de 68, decidiram juntar-se numa aventura familiar, cujo objetivo passa exatamente por agarrar em móveis e artigos de decoração, reutilizá-los, e dar a oportunidade a outras pessoas de lhes dar um novo lar. O negócio foi lançado oficialmente a 13 de dezembro de 2021 com a primeira publicação das páginas do Instagram e do Facebook da Casa Aberta.

Depois de decidirem mudar de casa, pai e filha foram confrontados com o facto de terem uma quantidade enorme de móveis e outros utensílios. Não havia, segundo Inês Simão, necessidade nenhuma de ficarem com todos os objetos, já que “excediam, em muito, a capacidade e a necessidades da nova residência”. Por isso, a solução passou pela aposta no conceito de venda dos produtos que, embora já tivessem tido uma história com eles, mereciam um novo recomeço.

E assim aconteceu. Com a ajuda de Maria Cardoso, especialista em marketing e no digital, criaram todo o conceito das páginas da Casa Aberta. Assim, abriram digitalmente as portas para que outras pessoas que até estivessem à procura deste tipo de artigos para a casa, pudessem usufruiu da qualidade, do estilo e até mesmo da história que cada um destes objeto já viveu. “Merecem uma nova oportunidade e família”, reforçou Inês Simão.

“Os artigos ‘viveram’ connosco e alguns ainda ‘vivem’. Tencionamos dar-lhes uma outra ‘vida’, principalmente pelo excesso de mobiliário e decoração que tínhamos, bem como pelo desejo de mudança de design, adequado à nossa nova casa”, explicou a jovem seixalense responsável por esta nova loja digital.

Até à data, e se for acompanhando as publicações da conta da Casa Aberta encontrará artigos para compor os vários espaços da casa. Há sugestões para a cozinha, a sala, o quarto e o escritório. Mas há mais. Por exemplo, existem peças de decoração que podem servir para decorar outras divisões da sua habitação.

Especificamente, para a cozinha e para a sala estão disponíveis mesas de refeição, cadeiras, aparadores, sofás e mesas de apoio. Já para o quarto, está disponível um estúdio completo, camas, mesas de cabeceira, uma escrivaninha, uma cómoda, um roupeiro e espelhos. No caso de ter um escritório — ou estiver com ideias de montar um — o negócio seixalense tem à venda um conjunto completo próprio para o efeito constituído por uma secretária, cadeiras, estante e ainda um armário.

Além disso, a Casa Aberta completa a sua oferta com uma mesa de jogo, quadros e candeeiros que pode usar para decorar qualquer parte da casa. Quanto a preços, saiba que pode comprar móveis e artigos de decoração entre os 10€, no mínimo, e os 500€. Há várias formas de realizar o pagamento, mas a família prefere que seja feito na hora. No entanto, também existe a hipótese de o valor ser enviado por MB Way, previamente por transferência bancária ou em dinheiro no dia do levantamento do artigo.

Para comprar nesta nova loja terá de estar atento as artigos que vão sendo publicados nas redes sociais do projeto e assim que vir algo que seja do seu interesse terá de contactar os responsáveis através de mensagem privada. Quando a compra estiver finalizada, terá de levantar os móveis ou as peças de decoração em questão numa morada posteriormente dada por Inês ou Mário Simão.

No futuro, a ideia passa por fazer não só a promoção como também a venda de outros artigos que outras famílias queiram vender. Porém, as novidades não se ficam por aqui. Com os mesmos responsáveis da Casa Aberta chegará ao online no final deste mês mais uma página, só que agora em formato de venda de roupa em segunda mão: a Wabi Sabi.

MAIS HISTÓRIAS DO SEIXAL

AGENDA