compras

Há um projeto seixalense de venda de peças em segunda mão e de artesanato sustentável

O espaço chama-se Galeriana e lá encontra de tudo um pouco a partir dos 0,50€.

Os anos passaram, mas o gosto manteve-se e é ele que dá origem a um dos mais recentes conceitos de artigos em segunda mão do Seixal. Peças antigas eram (e ainda são) uma perdição para Ana Maria Mesquita, a seixalense responsável pela Galeriana: a loja situada na Avenida Manuel da Fonseca no Seixal que tanto promete encontrar um novo lar para várias peças como dar a conhecer o trabalho de vários seixalenses que, nos últimos anos, se têm dedicado ao artesanato sustentável.

O espaço físico deste projeto made in Seixal já era conhecido por quem ali passava, mas por outras razões. É que o marido de Ana Maria Mesquita fazia dele um escritório e também atelier de estufagem e de restauro. Só que, na verdade, não estava assim tão bem aproveitado como depois a responsável pela Galeriana descobriu que, afinal, poderia estar.

“A loja tinha uma grande montra que estava tapada. Quando começou a pandemia e tudo estava parado pensei em abri-la. Depois, também havia um espaço no interior que estava completamente inutilizado. Falei com o meu marido e decidimos trazer várias coisas antigas que tínhamos em casa para decorar toda aquela zona. Só que eu entusiasmei-me e comecei a trazer mais coisas para a Galeriana”, conta à NiS Ana Maria Mesquita, de 59 anos.

Depois de falar com outros seixalenses, foi compondo aquele espaço com peças que vinham de destinos completamente diferentes. Aos quadros que ela própria pintou, peças em estanho português, em cristal, vidro, cerâmica, que se dividem entre umas mais modernas e outras mais antigas, chegaram para compor a Galeriana artigos de outros seixalenses.

“Uma amiga minha de 95 anos ofereceu toda a bijutaria dela para ser colocada aqui na loja. Também tenho à venda os azulejos do Castanheira pintados em cortiça; ilustrações da Ilda Dimas em papel próprio e em azulejo e barquinhos feitos por ela a partir de ‘lixo’ que encontra deixados pelas embarcações do Seixal; casinhas feitas com pedras e com pedaços de madeira, assinadas pela Luísa Varela”, revelou ainda em conversa com a NiS.

Na Galeriana também vai encontrar uma série de acessórios, como lenços, écharpes (1€ cada) e muita variedade de peças que servem para compor a decoração lá de casa a um preço mais baixo. E a verdade é que tem mesmo de ser assim, porque a ideia é expor um pouco de tudo, “sem que seja demasiado caro”, garantiu Ana Maria Mesquita.

” Gosto de peças acessíveis, para que haja a oportunidade de as pessoas poderem abrilhantar um pouco o espaço delas, mas que não gastem demasiado dinheiro. O mesmo acontece se quiserem dar um presente diferente tanto no Natal como nos aniversários. Aqui há essa opção desde o dia em que abrimos, a 19 de junho”, explica.

Para este Natal, a oferta não é muita, mas existe. O destaque está nos centros de Natal (18€), feitos com flores artificiais, embora tenham um detalhe bastante natural: as bases das peças são todas feitas em cortiça.

Pode conhecer este novo conceito seixalense, de segunda a sexta-feira, das 14 às 18 horas. No online, tem forma de ficar a conhecer as peças (e até mesmo o espaço) através da página do Instagram.

Já que lhe falamos de projetos seixalenses, carregue na galeria para ficar a conhecer as mais recentes malas e carteiras em burel e jacquard que compõem a nova coleção da Beecoming Handmade.

MAIS HISTÓRIAS DO SEIXAL

AGENDA