compras

Este casal limpou o armário — e está a vendar as peças em segunda mão nas redes sociais

A Yang Nation é o mais recente projeto na área da moda no concelho e quer promover um consumo sustentável da moda.
Uma das peças.

As cadeias de fast fashion vieram revolucionar a moda, trazendo peças giras a preços bem mais acessíveis. No entanto, também trouxeram um consumo exagerado de roupa, que leva a que muitas vezes só compre um determinado vestido porque está a um excelente preço ou não vai haver reposição de stock.

O armário começa a ficar bem mais cheio e não há muito espaço para mais peças. A nova marca de roupa seixalense quer mesmo evitar o desperdício e surge como um projeto minimalista para quem procura reutilizar roupas.

“Nós somos um casal que tinha a intenção de criar uma marca de roupa. No entanto, face ao enorme desperdício provocado pela indústria da moda, decidimos abordar o assunto da forma mais consciente possível.”, revela à New in Seixal, Mauro Melo, com 32 anos e formação em cinema.

Em conjunto com Ana Yang, de 29 anos, decidiram tornar o seu armário o mais minimalista possível, vendendo todo o excesso de roupa a um preço acessível. Desta forma, a 20 de julho, criaram a Yang Nation, que serve na prática como um local onde colocam as peças de roupa que já não utilizam e estão prontas para mudar de casa.

“Desta forma esperamos conseguir reciclar esta roupa que já não usamos e reunir alguns fundos para iniciar a nossa marca.”

Na verdade, a ligação ao universo da moda começou mais cedo para Ana, visto que trabalhou muitos anos na venda a retalho, enquanto Mauro estava do lado do comprador. “As nossas paixões encontram-se pelo gosto comum da streetwear.”

A parte do nome da marca foi fácil de chegar. Por um lado, o Yang é simples, até porque é o apelido da responsável. Já o Nation vem da vontade de criar uma comunidade de consumidores conscientes.

“Há algum tempo que tomamos a decisão de deixar de comprar fast fashion e passamos a optar por peças usadas em nome da nossa consciência ambiental. A criação deste projeto é a esperança de convencer outras pessoas a juntar-se à nossa nação de consumidores conscientes.” 

As peças têm um preço acessível

Na Yang Nation, os clientes podem encontrar peças utilizadas em excelente estado, até porque os responsáveis estimam muito as suas roupas. A diferença para outras marcas da concorrência é mesmo que cada peça foi escolhida pelo casal, por isso correspondem a um certo estilo. Há peças de homem e mulher, com vários tamanhos  — e preços que são sempre uma pequena parte do preço original, mas raramente excedem os 15€.

As encomendas são feitas, sobretudo, através da aplicação Vinted, que tem um sistema de proteção ao comprador e forma de ver o envio da sua encomenda. Se preferir, também pode encomendar (e ver as peças) através das redes sociais, sendo depois enviadas pelos CTT ou entregue em mãos na zona de Lisboa.

“Os planos são continuar a disponibilizar peças novas todos os dias. A esperança é que culmine na criação da nossa própria marca de streetwear, com peças sustentáveis, desenhadas por nós.”

Carregue na galeria para conhecer alguns dos produtos desta empresa seixalense.

MAIS HISTÓRIAS DO SEIXAL

AGENDA