compras

Afinal, qual é a causa da queda de cabelo sazonal e o que pode fazer para combatê-la?

A seixalense Liliana Pereira, consultora capilar e fundadora da plataforma Caracóis Saudáveis, explica-lhe tudo neste artigo.
Saiba como inverter a situação.

Perceber que o nosso cabelo está a cair muito pode ser assustador. Apesar de ser algo normal e natural desta época do ano, todos os anos, por esta altura, recebemos muitas mensagens de pessoas preocupadas com o seu cabelo. Também aumenta a procura de produtos de cosmética e de suplementos anti-queda de cabelo.

Enquanto pós-graduada em Tricologia (ciência do cabelo), neste artigo vou tentar explicar do que se trata e indicar quando deve procurar um profissional. Os nossos fios de cabelo têm um ciclo de vida que passa por três fases. A fase anágena, em que nasce e cresce e, num indivíduo saudável, cerca de 80 por cento dos cabelos encontram-se nesta fase, podendo durar até sete anos.

Na fase catágena, o fio de cabelo regride para se desprender e, por se tratar de uma fase rápida (duas a três semanas), apenas um por cento dos fios de cabelo se costumam encontrar nela. A fase telógena corresponde ao período de repouso do fio de cabelo, em que a sua raiz está mais superficial e um novo fio de cabelo o vai empurrando até cair, tem dois a três meses de duração e cerca de dez por cento dos fios de cabelo encontram-se, normalmente, nesta fase.

Todos os dias, de forma natural, perdemos cerca de 100 fios, mas nesta época do ano, este número aumenta. De acordo com estudos científicos, quando começa o período mais quente do ano, vários folículos capilares anteriormente estimulados, passam à fase telógena e, como resultado, regista-se um aumento da queda no final do verão e início de outono. É considerada uma queda de cabelo sazonal designada por eflúvio telógeno.

Esta queda de cabelo sazonal trata-se da renovação dos fios de cabelo e não da perda irreversível de folículos, logo, tem uma duração limitada no tempo e, posteriormente, recuperam-se os cabelos perdidos. No entanto, pode afetar bastante a autoestima e causar preocupação. Já para não referir que, à taxa de crescimento média de cabelo de um centímetro por mês, o tempo de recuperação pode ser longo.

Também pode estar a coincidir com outra razão que resulte numa queda semelhante à sazonal, como por exemplo, uma doença, cirurgia, parto, ansiedade, cansaço, dieta alimentar ou efeitos secundários de medicamentos. Se já tem algum quadro de queda de cabelo, este pode ser agravado. Entre as possíveis causas encontram-se questões hereditárias, hormonais, nutricionais, psicológicas e até mesmo a forma como cuida do cabelo no dia a dia.

Como tal, esta queda de cabelo não deve ser ignorada. Se achar que é demasiado intensa, prolongada no tempo e se até já nota falhas no couro cabeludo, está na altura de consultar um profissional especializado para desvendar a causa e iniciar um tratamento adequado.

Deve começar por consultar um médico, de preferência, um médico tricologista — dermatologista especializado em cabelo — ou um dermatologista ou, em alternativa, o seu médico de família, para obter um diagnóstico e respetivo tratamento. Pode justificar-se uma intervenção clínica, medicamentosa, psicológica ou nutricional, a fim de minimizar a queda.

Infelizmente existem poucos médicos tricologistas no nosso País e os mais próximos do concelho do Seixal atendem em Lisboa. Se não tiver possibilidade de se deslocar e quiser ter uma consulta de tricologia, sugiro a Dra. Rubina Alves, que faz consultas online. Pode fazer marcação através do email geral@nullinstitutodermatologico.pt.

Poderá ainda ser vantajoso complementar o tratamento prescrito com outra especialidade médica, um nutricionista, um terapeuta capilar ou um consultor capilar. Enquanto consultora capilar com formação em tricologia e cosmetologia, deixo algumas dicas relativamente à forma como cuida do seu cabelo:

Evite fazer penteados que puxem ou façam muita pressão na linha do cabelo

Rabos de cavalo, coques, tranças e qualquer outro apanhado que puxe demasiado o cabelo podem aumentar a queda, uma vez que vão fazer demasiada pressão e enfraquecer os fios. Se tem mesmo de fazer um apanhado, não puxe demasiado e opte por elásticos tipo scrunchie de cetim. Conheça a nossa promoção de scrunchies.

Experimente os novos produtos de limpeza capilar

Falamos daqueles que são sem sulfatos e que fazem uma lavagem mais suave, sem agredir demasiado o cabelo e que, dessa forma, reduzem a probabilidade de deixar os fios mais fracos e propensos a partir. Atualmente já várias marcas têm champôs sem sulfatos e cowash (condicionador de limpeza), podendo consultar a lista de produtos à venda em Portugal no nosso grupo de Facebook.

Aposte em tratamentos específicos que fortaleçam o fio de cabelo

Existem produtos especificamente criados para incentivar o crescimento do cabelo e fortalecimento dos fios. Pode optar por champôs, loções, tratamentos tópicos e, para tal, sugiro que se aconselhe com o seu farmacêutico.

Tenha cuidado com o uso de ferramentas quentes

O calor em excesso faz mal ao cabelo, uma vez que enfraquece a estrutura dos fios, podendo resultar em cabelo quebradiço e pontas duplas. Assim sendo, sugiro que reduza a frequência de uso de ferros de alisar ou ondular e que use o secador na temperatura média ou baixa, aplicando primeiro um produto com proteção térmica.

Se precisar de ajuda para saber qual a melhor rotina capilar para si, sugiro o nosso serviço de consultoria personalizada. Pode realizar a marcação enviando mensagem através das redes sociais Caracóis Saudáveis (Facebook ou Instagram) ou do email caracoissaudaveis@nullgmail.com.

MAIS HISTÓRIAS DO SEIXAL

AGENDA