compras

A Sohema Wear tem uma nova coleção de roupa para usar este verão

A marca seixalense quer promover uma moda que seja única, com poucas peças iguais à venda.
São 100 por cento linho.

Embora tenham preços acessíveis, ao comprar roupa nas grandes cadeias de fast fashion, como a H&M ou a Zara, provavelmente vai encontrar uma amiga ou colega que já tem uma peça exatamente igual. Ainda assim, há uma marca seixalense que quer que as clientes se sintam únicas e com peças que parecem exclusivas. 

A Sohema Wear foi criada há um ano e alguns meses, por Cláudia Sofia, com 26 anos. Com formação em gestão de empresas, a paixão pela moda começou desde cedo. “Sempre fiz muitos desfiles e apesar de o caminho profissional ter-me levado para outro lado, nunca deixei de estar ligada a essa área”, explica à New in Seixal. Na prática, tudo começou quando participou no secundário no Seixal Moda.

Participou em vários desfiles e realizou várias sessões fotográficas para negócios mais pequenos. No entanto, acabaria por seguir a vertente financeira, que também a apaixonava. Como sempre, quis trabalhar por conta própria, percebeu que um negócio na moda poderia ser a receita ideal. Juntou a experiência na gestão ao gosto pela moda e criou a Shoema Wear.

A responsável.

Novembro de 2019 foi a data oficial de arranque, mas quis começar devagar, até para perceber “se o negócio tinha pernas para andar sozinho”. Inicialmente, começou por vender apenas algumas peças, mas as clientes pediram mais modelos peças (e coleções diferentes). “Mantive o meu outro trabalho durante algum tempo, até que consegui perceber que conseguia ter só este negócio como ocupação principal”.

A escolha do nome foi um dos passos mais difíceis, até porque não queria algo banal ou comum. Teve algumas ideias, mas alguns dos nomes que queria já estavam registados. Queria algo especial, que tivesse um significado e um propósito. Sohema foi então a opção escolhida e resulta na junção dos nomes dos responsáveis pelo projeto: So (Cláudia Sofia), He (Henrique, o pai) e Ma (Maria, a mãe). “São os pilares da minha vida e deram-me muita força para arrancar com o negócio”.

O momento decisivo

O trabalho da marca de roupa começou a aumentar com o decorrer do tempo e estava a ser difícil conciliar os dois trabalhos em simultâneo. Foi então que decidiu despedir-se e ficar só com a Sohema. “O passo foi muito grande e tomei-o com grande medo, porque nunca sabemos o que é que vem aí, mas foi a escolha certa”.

Nos primeiros meses, ou seja, até ao outono de 2020, vendia apenas as peças de roupa. Há modelos mais básicos, que servem para várias pessoas, e coleções exclusivas. “Nestes casos, a ideia é não haver muito stock para as pessoas não terem todas as mesmas peças e terem alguma sensação de exclusividade”.

Cláudia quis também apostar no packaging como fator diferenciador de outras marcas concorrentes. Além disso, as coleções mais exclusivas, com uma limitação de stock, servem como uma atrativo de novos clientes e também como forma de manter os clientes antigos fidelizados.

As sandálias têm um design único.

Como tinha muitas clientes que pediam calçado, decidiu começar a apostar a sério nessa área. Agora, já oferece várias opções, que pode combinar com o outfit da Sohema Wear. A aposta mais recente passa por uma coleção com poucas peças e onde todas são feitas com 100 por cento linho, mas não só.

“Quisemos também a apostar na vertente das peças exclusivas de oversize e mais raras de encontrar no mercado de moda atual”. As entregas são feitas em todo o País, incluindo para as ilhas, através dos CTT. Carregue na galeria para ficar a conhecer algumas das novidades desta marca seixalense e as coleções exclusivas de roupa.

MAIS HISTÓRIAS DO SEIXAL

AGENDA