comida

O novo minimercado do Seixal onde os clientes se sentem em casa

Se mora em Santa Marta do Pinhal, tem aqui uma opção que vale a pena conhecer. Sem ter que pegar no carro.
Foto: Jorge Velez.

A pandemia (e os confinamentos) obrigaram ao encerramento da maioria dos negócios portugueses, com algumas exceções. Entre as quais está o retalho alimentar, que inclui espaços como supermercados e minimercados. Como estes locais vendem bens que são considerados essenciais, até nas piores alturas da pandemia podem continuar a funcionar — ainda que com algumas restrições horárias.

Desta forma, é natural que quando se preparam novos negócios se pensem em projetos na área do retalho alimentar. No concelho do Seixal, mais concretamente em Corroios, abriu a 1 de julho o Mercado Preço Bom, que quer ajudar os seixalenses a terem um atendimento mais personalizado na sua ida às compras, ao contrário do que acontece nas grandes superfícies.

Em 2019, Fabrícia Camargo, com 44 anos, veio para Portugal do Rio de Janeiro à procura de uma vida melhor e estabilidade financeira. Trabalhou na restauração, em pastelarias e até em cafés para perceber qual seria a área para investir num negócio próprio.

“Devido à pandemia, a parte alimentar não fecha e achei melhor em arriscar nesta área”, explica a responsável do novo espaço à New in Seixal. 

Este ano começou a procurar um espaço para montar o minimercado. Numa das suas visitas a Santa Marta do Pinhal, percebeu que seria um local com potencial, uma vez que fica perto de vários condomínios de apartamentos e é de fácil acesso. “Fiz uma proposta para o ex-dono e ele aceitou.”

Um espaço com atendimento personalizado

Numa área com muita concorrência, a responsável acredita que existem vários fatores diferenciadores no Mercado Preço Bom. A simpatia que oferece diariamente a quem entra no mercado é um deles. A organização dos produtos é outro dos fatores diferenciadores neste novo espaço em Corroios. “Procuro colocar um preço acessível para as pessoas, apesar de não ter maneira de concorrer com as grandes superfícies.”

O espaço.

Além disso, os clientes são uma parte fundamental no planeamento do negócio. Como o conceito é mesmo o da proximidade, Fabrícia faz questão que os clientes sugiram produtos que gostassem de ver no mercado, até porque só assim consegue ser uma alternativa válida.

“O ex-dono deixou este espaço algum tempo fechado e as pessoas agora estão a descobrir a loja de novo. Este é um mercado de passagem e de coisas rápidas.”

Ainda assim, a responsável não está muito preocupada, porque o seu espaço ainda não tem um mês de existência e está a funcionar como uma espécie de recomeço a profissional e pessoal.

Por aqui pode comprar de tudo um pouco. Desde frutas, como pêssegos, que custam 1,99€, a legumes, pães e até bebidas. A responsável oferece também embalagens de açaí para comer em casa — e que custam 6,50€. Há ainda produtos de higiene pessoal e limpeza. 

O objetivo para os próximos meses é mesmo uma aposta na Internet. Ao contrário de muitos mercados tradicionais, no Mercado Preço Bom haverá em breve entregas ao domicílio.

Quem manda nisto tudo

Nome: Fabrícia Camargo
Idade: 44 anos
Guilty Pleasure: “Quando coloco os pés no chão ao levantar da cama, ajoelho e faço as minhas orações e agradeço por tudo.”
Marca favorita: Nestlé
Convença-nos a visitar o espaço: “O meu espaço é limpo e organizado. Tenho como meta melhorar para que nenhum cliente saia do meu estabelecimento de mãos vazias. Tenho produtos com preços que são acessíveis. Sempre atendo os meus clientes da mesma forma que gosto de ser atendida quando vou a algum estabelecimento.”

FICHA TÉCNICA

  • MORADA
    R. Silva Pereira 24B, 2855-576 Corroios
    2855-576 Corroios
  • HORÁRIO
  • Todos os dias das 9h às 21h
PREÇO MÉDIO
?

MAIS HISTÓRIAS DO SEIXAL

AGENDA