comida

O negócio seixalense que entrega marmitas de comidas brasileiras

O projeto Bom Gosto foi lançado em janeiro e tem como missão trazer o melhor da cozinha mineira para o nosso País.
A feijoada é um dos pratos principais.

Foi em Portugal que Miriam Belo descobriu o quanto gostava de cozinhar. Com a pandemia, as suas oportunidades profissionais na área do Treinamento Empresarial diminuíram e, por isso, a brasileira, formada em Gestão Empresarial, decidiu juntar o útil ao agradável e lançar um projeto que promete fazer as delícias dos seixalenses.

“Resolvi colocar em prática a entrega das marmitas, que era algo que já fazia no Brasil”, conta à NiS a cozinheira, de 37 anos, que montou um restaurante com o mesmo nome no país de origem depois da sua primeira vinda para Portugal, em 2005.

Na primeira estadia em solo nacional, abraçou as oportunidades profissionais que surgiram e trabalhou com outras cozinhas, como a portuguesa ou a italiana. Apesar disso, confessa que se sente realmente confortável na confeção de comida brasileira. “Quem mora no interior, já sabe fazer a culinária brasileira, mas quando vai para uma cozinha profissional, vai descobrindo novos temperos e formas de fazer as coisas”, conta.

Assumiu-se como cozinheira e regressou ao Brasil em 2011, onde aproveitou tudo o que aprendeu em Portugal para investir no seu restaurante, que só fechou quando teve de se mudar. De volta a Portugal em 2016, contou com a motivação de várias pessoas que a incentivaram a fazer marmitas para fora, algo que tem feito aos fins de semana para complementar com o seu emprego principal.

“Em tempos de crise, digo sempre aos empreendedores que nos devemos reinventar com as competências que temos. Se há algo que sei fazer e posso ganhar dinheiro com isso, vamos fazer uma tentativa”, acrescenta. E foi isso que fez com o Bom Gosto, seguindo o mote ‘Queremos levar mais sabor para a sua mesa'”. 

Entre os pratos que vão fazer parte do negócio, os clientes podem contar com muita comida de Minas Gerais. “Até hoje, não vi um português que comesse a cozinha mineira e não gostasse”, diz. Além da feijoada, um prato apreciado tanto pelos portugueses como pelos brasileiros, Miriam pretende trazer, por exemplo, a galinhada brasileira e frango com quiabe e quer apostar em marmitas fitness para quem quer fazer dieta.

Carne de panela à moda mineira.

O processo das encomendas é simples. O prato da semana é lançado na página do Instagram e os clientes têm até sexta-feira para realizar o pedido, que será entregue ao domingo, no horário marcado. As refeições podem ser congeladas até cinco dias. Miriam Belo conta com o apoio do marido nas entregas e com a ajuda das filhas na cozinha, o que torna este negócio 100 por cento familiar.

O valor máximo das marmitex atinge os 7€, com a possibilidade de a entrega ser feita por esse valor se a pessoa for levantar o pedido pessoalmente ou, se viver perto da Amora, onde mora atualmente a criadora do Bom Gosto. Em todos os outros casos, acrescenta-se a taxa de entrega. 

Apesar de o negócio ter sido lançado em janeiro de 2020, Miriam não descarta a vontade de ter um espaço físico e de poder contribuir com oportunidades para jovens que vão ter o primeiro emprego. “Trabalho com jovens na igreja e vejo a sua necessidade de ter um trabalho que tenha contrato”, explica. Por enquanto, pode visitar e fazer as suas encomendas no Instagram do projeto.

MAIS HISTÓRIAS DO SEIXAL

AGENDA