comida

O Lisboa à Vista é o spot certo para desconfinar ao final do dia — e tem novos petiscos

O barco não faz passeios, mas vai levá-lo numa verdadeira experiência gastronómica, sem ter que deixar o cais do Seixal.
Foto: Jorge Velez

Nos seus passeios semanais até à Baía do Seixal, quer seja para treinar ou para comer num dos restaurantes desta zona, certamente que já reparou na embarcação que está atracada mesmo à entrada do Núcleo Urbano Antigo. O barco, que funciona como restaurante, chama-se Lisboa à Vista e quer oferecer aos seixalenses (e outros clientes) uma experiência diferente. 

Em 2014, quatro amigos —sem qualquer experiência na restauração, e que tinham apenas em comum o universo do bacalhau — juntaram-se para comprar um barco cuja receita final foi a abertura do Lisboa à Vista dois anos mais tarde.

Não foi propriamente a vontade de terem um restaurante que motivou este grupo de amigos a comprar esta embarcação, mas sim uma oportunidade de negócio que surgiu na altura. O navio escolhido já tem 96 anos, 52 dos quais passados a transportar passageiros entre margens. A ideia de ter um restaurante num barco remonta aos anos 90, até porque este veículo chegou a funcionar como restaurante na Doca do Espanhol em Lisboa.

“Em virtude de as águas nesse local serem mais agitadas, o arquiteto Óscar Cardoso acabou por adquirir a embarcação e levou-a para a Baía do Seixal” explica à New in Seixal, Paulo Torres, um dos sócios fundadores do projeto. É neste local que pode encontrar o barco desde 2005. Porém, com o passar do tempo, já estava a precisar de grandes obras de manutenção — e foi aí que surgiu o novo grupo de responsáveis.

“Ao longo dos anos, temos feitos algumas modificações, sempre com o intuito de tornar o espaço cada vez mais acolhedor, dentro de um ambiente familiar, mas também com o glamour caraterístico”.

O conceito do restaurante mantém-se quase igual. Houve apenas algumas mudanças. O destaque da carta continua a ir para a comida portuguesa, e, sobretudo, para o bacalhau — um prato com muita tradição no Seixal.

Tem de aceder através do cais. (Foto: Jorge Velez)

O impacto da pandemia

O ano passado não começou da melhor maneira, até porque tiveram que parar durante todo o mês de janeiro para fazer a manutenção, visto que o cacilheiro tem de ser retirado da água a cada quatro anos. “Aproveitámos e fizemos também algumas alterações no piso de entrada, para o tornar mais apelativo e convidativo.”

Após uma reabertura a 14 de fevereiro, para celebrar o Dia dos Namorados, tiveram que encerrar passado um mês, por causa da pandemia. “Quando pudemos reabrir foi complicado, por causa do receio de alguns clientes, mas a partir de junho trabalhámos muito bem. Depois tivemos que fechar novamente por mais alguns meses.”

As entregas ao domicílio e o take-away não foram uma opção, porque o conceito deste espaço é a experiência de comer uma refeição a bordo de um cacilheiro. Reabriram por fases, até porque o rooftop, que todos elogiam, só começou a ser utilizado no último mês.

“Tivemos que arranjar motivos para atrair os clientes da parte da tarde, mesmo em open space, porque à noite era impossível estar lá em cima, por causa do vento.” 

As novidades

Para a reabertura, além da carta habitual, lançaram um menu especial de petiscos portugueses. Pode comer uma tábua de queijos e enchidos (12,50€) ou só com queijos (8,50€). Se preferir uma refeição mais leve, tem também tosta mista (4,50€) ou tosta lisboa à vista (5,50€).

Na carta principal, o destaque continua a ir para o peixe. As massadas, sendo recomendadas para duas pessoas, são a especialidade da casa e pode comer de cherne com marisco (39,50€), de bacalhau (38,90€), de tamboril com marisco (39,50€) ou de garoupa com marisco (41,50€).

O bacalhau é o rei.

Os pratos de bacalhau completam uma ementa, que tem opções para todos os gostos. O bacalhau à Brás (12,50€) não podia faltar e é acompanhado pelo bacalhau com crosta de broa (17€) ou rabo de bacalhau à lagareiro (29,90€). Para acompanhar tem uma grande variedade de vinhos, gins e cocktails.

Além disso, agora pode comer os gelados da Fini neste espaço único no concelho. A Fini foi lançada em 2011. A base dos gelados é uma receita tradicional italiana que não utiliza corantes, nem conservantes. Há opções sem glúten, ou lactose, e ainda sorvetes, feitos apenas com água e fruta fresca. Carregue na galeria para conhecer o espaço e alguns dos pratos.

FICHA TÉCNICA

  • MORADA
    Cais da Mundet, Baía do, 2840-481 Seixal
    2840-481 Seixal
  • HORÁRIO
  • De quarta-feira a sábado das 12h às 22h30
  • Domingo do 12h às 22h30
  • Segundas das 12h às 19h
  • Encerra às terças
PREÇO MÉDIO
Entre 10€ e 20€
TIPO DE COMIDA
Portuguesa

MAIS HISTÓRIAS DO SEIXAL

AGENDA