comida

Mercadona quer redução do IVA para 6% em todos os alimentos considerados básicos

A cadeia espanhola celebra cinco anos em Portugal. O plano de expansão inclui a abertura de lojas em Lisboa, ainda sem datas.
É uma oportunidade.

Após ter fechado 2023 com 49 lojas em território nacional, a Mercadona continua a apostar em Portugal. Este ano, a retalhista espanhola celebra o quinto aniversário da chegada ao nosso País — a primeira loja abriu em Canidelo, Vila Nova de Gaia, a 2 de julho de 2019.

No âmbito do plano de expansão em território nacional, pretende abrir mais 11 espaços até final de 2024, atingindo as 60 lojas. Embora a cadeia não garanta que a abertura dos primeiros espaços em Lisboa ou no Algarve aconteça ainda este ano, há outros objetivos definidos para ajudar os portugueses, adiantou a diretora de relações institucionais da retalhista, Inês Santos, numa entrevista à “Renascença”.

Uma das prioridades da cadeia passa pela reivindicação de alterações à legislação que se traduzam num alívio fiscal e na simplificação do código do IVA, que a responsável descreve como “uma manta de retalhos, que muitas vezes é de difícil aplicação”.

Nem sempre é fácil explicar ao consumidor “porque é que há carne com 6 por cento de IVA e outra, por ser considerada um produto elaborado, tem 23 por cento”, acrescenta.

E as próximas aberturas?

Ainda não há previsões para a chegada da Mercadona a Lisboa, porém, há três localizações em negociação. Uma delas é na Quinta do Lambert, no Lumiar, que já tem a aprovação da autarquia. A cadeia também tem em mente um espaço em Sete Rios e uma terceira inauguração cuja localização ainda não foi revelada pela empresa.

O plano é abrir em Lisboa “o mais cedo possível e não será a única”, adianta Inês Santos. Porém, devido a licenciamentos e obras, não é possível fechar datas.

Com a abertura da primeira loja no Alentejo, em Évora, marcada para outubro, há também muitas questões sobre a chegada ao Algarve. A estreia, no entanto, não está para breve. Segundo a porta-voz, os planos para este ano passam por consolidar a presença da rede nas cidades onde já chegaram.

O primeiro supermercado Mercadona abriu em Portugal em julho de 2019, em Canidelo, Vila Nova de Gaia. Com mais de cinco mil colaboradores no nosso País, atualmente a empresa tem lojas nos distritos do Porto, Braga, Aveiro, Viana do Castelo, Setúbal, Santarém, Viseu, Leiria, Lisboa, Coimbra, Guarda e vai passar a estar presente em Évora.

Atualmente, a Mercadona já tem cerca de seis mil trabalhadores no País e quer continuar a contratar. “Nunca deixámos de abrir uma loja ou qualquer instalação por falta de pessoas”, refere a Diretora de Relações Institucionais. A retalhista espanhola quer recrutar operadores de supermercados, auxiliares de manutenção e operadores de armazém em várias das suas lojas.

As condições oferecidas pela empresa incluem um salário de entrada anual de 5.171,85€ brutos (cerca de 430€ brutos mensais) e possibilidade de progressão a 7.073,19€, incluindo subsídios de férias e Natal, por 15 horas semanais. Caso pretenda o contrato de 20 horas, os valores sobem 6.895,80€ com progressão a 9.430,92€. A estes valores soma-se o subsídio de alimentação diário e outras compensações, como as referentes aos domingos e feriados.

 

 

MAIS HISTÓRIAS DO SEIXAL

AGENDA