comida

O casal que aproveitou a pandemia para trazer os doces brasileiros para o Seixal

Na Flor de Mandacaru só tem de escolher e encomendar. Os doces vão diretos para sua casa.
Os brigadeiros são originais.

O sector alimentar foi um dos mais afetados pela pandemia, com vários restaurantes a encerrarem durante os confinamentos ou mesmo fecharem para sempre. Ainda assim, esta também foi uma altura de grande criatividade para quem sempre quis ter um negócio caseiro de entregas de comida ao domicílio — e nunca tinha tido o tempo necessário.

Apaixonados pela culinária desde que se recordam, Ruth Barros, com 43 anos e técnica em administração, e Ricardo Barros, de 46 anos e técnico de edificações e elétrica, são os responsáveis do mais recente projeto de comida caseira entregue à porta da sua casa: Flor de Mandacaru.

A viagem deste casal brasileiro começou bem mais cedo, ainda na época que moravam no Brasil. Nos aniversários de família, os doces, as feijoadas e as coxinhas já faziam parte do menu em todos os eventos familiares — a paixão pela cozinha esteve sempre presente, sendo que Ricardo até teve um bar no Brasil.

“Já estávamos a planear vir para Portugal desde 2016, que foi quando demos entrada no processo de cidadania do meu marido, que saiu em 2017. Ele veio para Portugal para conhecer e gostou. Voltou para o Brasil para começarmos a planear a nossa vinda em 2019”, confessa Ruth à New in Seixal.

Em junho desse ano, Ricardo veio oficialmente morar para Portugal, sendo acompanhado pela esposa, mãe e filha no final de 2019. “Viemos para Portugal por causa da dupla cidadania do meu marido e a língua, que é muito mais fácil para uma criança se adaptar.”

No nosso País trabalharam noutra área, diferente da culinária, mas nunca esquecendo este lado. Durante o último ano foram aperfeiçoando a técnica, recorrendo a vários cursos de doces. Com a pandemia, perceberam que existia um mercado a crescer em Portugal e decidiram apostar com um negócio de entregas de doces ao domicílio.

O nome escolhido pode parecer um pouco estranho para os portugueses, mas tem um motivo. Em homenagem ao sertão nordestino brasileiro, esta é uma flor que simboliza a resistência à seca. “As suas flores anunciam o fim do período de seca e a chegada da chuva. Como imigrante numa terra que não conhecia sabia que tinha que resistir ao período de seca ou seja adaptar-me ao novo.”

Uma das opções.

Desde 10 de setembro que pode encomendar os doces deste casal brasileiro. Entre as opções pode comer uma grande variedade de doces brasileiros. Por exemplo, os brigadeiros gourmet (0,70€ por unidade) são um dos grandes destaques — e um dos produtos mais pedidos. Os sabores são variados e há até de pastilha elástica e tutti-fruti.

Além disso, tem bombons de morango, bolos e alguns salgados típicos brasileiros, como o canudo de forno recheado com frango e azeitona, ou coxinha. Basta mandar uma mensagem para as redes sociais da página a fazer a encomenda do seu pedido.

As entregas, por enquanto, são asseguradas na região do Seixal e Almada e a taxa de entrega começa nos 2,50€. No futuro, querem chegar também a Lisboa, de forma a aumentar o leque de clientes. Além disso, há planos para abrir um espaço físico, virado para a comida típica do nordeste brasileiro. 

MAIS HISTÓRIAS DO SEIXAL

AGENDA