comida

A nova experiência do Seixal leva-o à casa do chef para provar as carnes mais caras do mundo

O famoso Gonzagalez decidiu apostar num serviço premium e exclusivo para os verdadeiros carnívoros.
Todas as peças são certificadas.

Esqueça o conceito de restaurante e bistrô que o Gonzagalez nos habituou. Apesar de já venderem algumas carnes caras e das mais saborosas do mundo, o chef Nuno Costa decidiu elevar o patamar do serviço e da qualidade.

No passado dia 20 de junho, quinta-feira, chegou ao Seixal uma nova experiência gastronómica, premium e exclusiva. Confuso? Nós explicamos. Trata-se de um espaço que simula a casa do chef, onde pode provar uma seleção de oito pratos e acompanhar com bons vinhos tintos e brancos, o Gonzagalez Table Experience.

O restaurante fica na Rua Paiva Coelho, a principal do concelho, algo que sempre foi um “desejo” de Nuno e da mulher, Selma Sofio. O conceito é muito simples, a porta fica virada para a rua e mal entra, está na casa do chef, não há receção nem outro tipo de estrutura.

O que chama mais a atenção é o charme da sala, que está muito bem decorada, é espaçosa e tem uma mesa que pode levar até dez pessoas. A configuração é de uma sala conjugada com cozinha, onde o chef vai cozinhar ao vivo as melhores carnes do planeta.

Ao longo de toda a experiência, pode levantar-se, conversar com o chef e fazer-lhe perguntas. Apesar de a mesa ter capacidade para dez pessoas, pode fazer a experiência a partir de duas reservas, sendo que os outros oitos lugares podem vir a ser ocupados por outros clientes.

Tudo foi pensado ao pormenor para que o momento seja de máximo conforto. A sala é muito ventilada e a zona da cozinha, onde se faz o empratamento e se prepara a carne, está bem equipada. Um dos elementos é um exaustor silencioso embutido nas placas de cerâmica, de modo a não causar qualquer tipo de fumo.

O valor é de 80€ por pessoa ou 110€, caso queira ter direito à harmonização de vinhos brancos e tintos da Bacalhôa e da Adega Mayor. O preço dá direito a provar duas entradas, cinco pratos principais e uma sobremesa.

As entradas são também compostas com base em carnes, mas o verdadeiro tesouro são os pratos principais, onde poderá degustar as melhores peças de José Gordón e, claro, todas a variedades de wagyu do Japão, a carne mais cara do mundo.

“A qualidade dos wagyus é qualificada em cinco categorias, sendo a primeira a mais baixa e a quinta a mais premium, pelo que depois ainda é dividida em 12 categorias, mais uma vez sendo a mais alta a melhor peça. Nós aqui só preparamos a wagyu A5 qualidade 12, é o topo do topo e vem diretamente do Japão”, explica Nuno à New in Seixal.

Os cortes finos de Wagyu.

Dependendo das peças, um quilo desta carne pode custar mais de 300€. Esta espécie de vaca é massajada, ouve música e come apenas lúpulo, um dos principais ingredientes da cerveja. Dentro dos wagyus existem cinco subespécies que derivam do local onde são criadas, Nuno trouxe as cinco variedades até ao Seixal com nível máximo de qualidade. A experiência tem ser feita, obrigatoriamente, por reserva e terá de ser aos jantares de quinta-feira e sábado.

A nossa experiência

Como não poderia deixar de ser, a equipa da New in Seixal foi fazer a experiência e conta-lhe tudo na primeira pessoa. Quando entrámos, foi-nos servido um welcome drink para preparar o palato para os pratos que aí vinham. O que mais nos chamou a atenção foi a beleza do espaço, que simula na perfeição um conjunto de sala de estar e cozinha.

As paredes são de um branco a fugir para o bege, o chão é de madeira castanha escura e a mesa é de madeira preta. As cadeiras também são de madeira escura e revestidas por cabedal preto. A zona da cozinha é maioritariamente preta e conta com uma boa iluminação e equipamentos de topo. A decoração moderna transmite-nos a sensação de estarmos na casa de um amigo.

Os garfos e facas são com o cabo em madeira e colocados numa pequena base, também ela em madeira, para nunca tocarem na mesa. Os guardanapos são grandes e podem ser utilizados em forma de babete ou em cima do colo.

Enquanto estávamos a conversar começou a surgir um cheio agradável, mas não forte. Nuno já estava a preparar o primeiro prato, uma entrada que se baseia numa pastel de carne de vaca com especiarias e pimentas. Estava absolutamente delicioso, sem qualquer tipo de extravagância no sabor nem óleo na massa da fritadura.

Depois provámos três partos de carne, sendo dois deles com a famosa carne de José Gordón e outro com duas variedades de wagyu A5, um da região de Kobe e outro de Miyazaki. Nesta parte, é difícil ficar sentado porque todos querem saber como o chef corta, manuseia e cozinha as carnes de luxo. Utiliza sempre utensílios diferentes para cada variedade de carne e os tempos são cronometrados, de modo a que tudo fique no ponto exato.

O primeiro prato foi servido com batatas, mas os restantes vieram com uma cama de vegetais salteados para equilibrar os sabores da carne. Para este primeiro, acompanhámos com um vinho branco, casta verdelho da Bacalhôa. Sim, pode parecer estranho acompanhar carne com vinho branco, mas garantimos que não se vai arrepender.

Esta primeira carne foi defumada durante várias horas, ao contrário do segundo prato, que apresentou os sabores e aromas da carne de José Gordón, de uma forma mais natural. Depois, com um vinho tinto da Adega Mayor, foi altura de provar as duas variedades de wagyu. Assistimos, com atenção, a um espetáculo de curta duração, já que o ponto desta carne demora apenas 20 segundos a ser alcançado em alta temperatura.

Saiu imensa gordura durante esse tempo, mas a carne continuou com todo o efeito mármore que é suposto. A carne wagyu é cortada em pequenas tiras e é consumida com pauzinhos, de modo a ter a experiência japonesa. Entre as duas variedades, gostámos mais da de Miyazaki, já que tinha um melhor equilíbrio entre a carne e a gordura.

Já a de Kobe era uma peça excelente que se desfazia na boca a cada dentada. Para finalizar bebemos um café e comemos um brownie de chocolate acompanhado por gelado de tangerina. No final, o chef abriu-nos e porta e disse: “Esta é a minha casa e, como tal, sou eu que abro e levo os meus amigos até à porta”. 

Por se tratar de um serviço exclusivo pode pedir que se façam algumas alterações e até mesmo reservar todo o espaço para um evento ou uma reunião de negócios. “O wagyu é uma carne com muita gordura que se pode tornar enjoativa se comermos muito, mas estamos abertos a fazer uma experiência 100 por cento wagyu com todas as subespécies da vaca caso peçam”, conclui.

Agora, carregue na galeria e veja melhor como é este espaço e como o chef faz o empratamento de cada refeição que é servida.

FICHA TÉCNICA

  • MORADA
    Rua Paiva Coelho 33
    2840-520 Seixal
  • HORÁRIO
  • Por marcação
PREÇO MÉDIO
Mais de 50€
TIPO DE COMIDA
carnes

MAIS HISTÓRIAS DO SEIXAL

AGENDA